As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A Olimpíada pode mudar uma cidade?

Estadão Esportes

07 Agosto 2012 | 12h30

A Olimpíada pode mudar uma cidade? Há um ano, Londres enfrentava o início de uma onda de violência que deixou 5 mortos e dezenas de feridos; lojas foram saqueadas, casas e carros queimados estamparam as capas dos principais jornais do mundo. Começou com um protesto pacífico contra a morte de um morador negro de Tottenham, bairro pobre no norte da cidade, mas explodiu e se espalhou até os muros do Parque Olímpico em Hackney, no leste. A face dos protestos era de jovens – dos 3 mil presos, pelo menos a metade tinha menos de 21 anos. Tão jovens quanto muitos dos 70 mil voluntários que agora recebem gentilmente os visitantes e ajudam a fazer acontecer os Jogos. Há um ano, a polícia reagiu duramente para controlar os manifestantes. A mesma polícia que agora circula calmamente pelas sedes olímpicas e arredores, sorri aos que passam e deixa até que brinquem com seus cães farejadores. Há um ano, o país temia estar diante de uma sociedade fraturada. Agora se une no patriotismo reavivado com as medalhas dos ateltas britânicos.

Vivendo seu momento de glória, o prefeito de Londres disse hoje que “a Olimpíada está dando uma lição aos manifestantes: a de que esforço e conquista estão conectados”. Muitos dos jovens que foram presos nos protestos do ano passado tinham passagem pela polícia, a maioria estava desempregada, realidade de um em cada quatro londrinos entre 18 e 24 anos. Em um giro por Hackney, os moradores me diziam que as ruas estão mais tranquilas, mas eles acreditam que isso se deve apenas à presença ostensiva da polícia e do Exército durante a Olimpíada – há, aliás, mais forças de segurança britânicas em Londres para os Jogos do que no Afeganistão. “Sob a superfície brilhosa da Olimpíada, muitos temem que as causas da onda de violência permanecem”, escreveu uma moradora de Hackney em carta ao Financial Times. Apesar da renovação da área para receber o Parque Olímpico, ela lembra que o bairro segue sendo o sexto mais pobre do país e tem o segundo maior número de pessoas pedindo seguro-desemprego, atrás apenas do vizinho Newham.

O tema dessa Olimpíada é: Inspire uma geração. Apesar da euforia dos últimos dias de ouro para o esporte britânico, talvez seja preciso mais do que medalhas. O próprio Johnson acredita no efeito inspirador dos medalhistas, mas admitiu: “Uma Olimpíada não resolve tudo”.