O que é jornalismo humanitário?
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O que é jornalismo humanitário?

adrianacarranca

16 Maio 2014 | 12h48

Foto: refugiados sul sudaneses em Uganda/ Adriana Carranca

Na última semana, muitos me perguntaram sobre o que é exatamente jornalismo humanitário. Assim como o jornalismo político, econômico, cultural ou esportivo, o jornalismo humanitário é uma especialiação. Significa que os repórteres acompanham mais de perto os acontecimentos dessa área: conflitos armados, principalmente, mas também epidemias e desastres naturais.

O jornalista humanitário – um termo incomum no Brasil, mas tão usual na imprensa americana ou britânica quanto outras áreas do jornalismo – deve conhecer as leis humanitárias internacionais, como as Convenções de Genebra, seus tratados posteriores e protocolos adicionais, as Convenções de Haia, que estão entre os primeiros tratados de leis e crimes de guerra, entre outros documentos importantes do direito internacional. Ele acompanha o financiamento da ajuda humanitária, o trabalho da ONU e das organizações que atuam em campo, as decisões dos governos e organismos internacionais sobre o tema.


É muito comum que a área de jornalismo humanitário envolva também questões de direitos humanos, não diretamente relacionadas a conflitos armados, e desenvolvimento.

Há repórteres especializados nessa área empregados nas principais redações do mundo. Nicholas Kristoff, colunista e blogueiro do New York Times, é talvez o mais conhecido deles. É ganhador de dois prêmios Pulitzer, o principal prêmio do jornalismo americano. Segundo o concorrente The Washington Post, Kristoff “reescreveu o jornalismo de opinião” ao dar ênfase em suas colunas a abusos de direitos humanos, injustiças sociais e o impacto das guerras na população civil.

Além disso, veículos como a agência de notícias Reuters, o jornal britânico The Guardian e a rede de TV americana CNN dedicam espaços exclusivos para notícias relacionadas ao tema. O site criado pela Reuters trust.org inclui, além da cobertura das crises humanitárias, notícias sobre direito das mulheres, clima e corrupção. A página do Guardian Global Development reúne o melhor conteúdo sobre o tema, que ajude a estimular o debate, discussão e aprendizado entre profissionais que trabalham com desenvolvimento global. A CNN criou em sua página na Internet o tópico Impact Your World (Impacte Seu Mundo) que, além de reunir as notícias, mostra como ajudar.

*

Leia mais:

Projeto Jornalismo Humanitário: ‘Estado’ e blog ‘do front’ anunciam parceria com Médicos Sem Fronteiras