Kirchners e Maradona afirmam que Copa do Mundo terá ‘cultura’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kirchners e Maradona afirmam que Copa do Mundo terá ‘cultura’

arielpalacios

09 Maio 2010 | 18h30

blogthe_geographer

“O geógrafo”, óleo em tela de Johannes Vermeer (1632-1675). A obra, pintada entre 1668 e 1669, está no Steadelsches Kunstinstitut, em Frankfurt. Vermeer pintou este quadro para mostrar a influência crescente, na época, do saber científico na Europa.  Segundo as autoridades argentinas, os professores das escolas aproveitarão os jogos da Copa do Mundo para “transmitir noções de geografia e dados culturais” sobre o país anfitrião da Copa e os países das seleções que enfrentarão a Argentina. Mais detalhes sobre esta obra (a de Vermeer), aqui.

blog1mao3“Não podemos dizer às crianças que venham às aulas, exatamente quando a Argentina está colocando a vida em jogo!”. Com estas palavras – ditas em tom dramático – o técnico da seleção argentina de futebol, Diego Armando Maradona – defendeu o plano do governo da presidente Cristina Kirchner de estimular as escolas públicas em todo o país para que “flexibilizem” os horários, de forma que os estudantes possam assistir aos jogos protagonizados pela Argentina durante a Copa do Mundo da África do Sul nas salas de aula.

As enfáticas declarações de Maradona foram pronunciadas durante o lançamento do livro didático que será enviado a 25 mil escolas com diretrizes para os professores sobre como transmitir às crianças aquilo que o governo denomina de “o lado cultural” da Copa.

Segundo Maradona, graças à competição mundial na África do Sul as crianças argentinas poderão “saber quem é Nelson Mandela, que esteve preso mais de 25 anos por defender os direitos na África do Sul”.

Ao lado de Maradona, o ministro da Educação, Alberto Sileoni, afirmou que a Copa do Mundo é “um fato cultural muito importante, uma festa, e pode ter um grande efeito pedagógico”.

Sileoni, fanático do futebol – e que não parava de sorrir ao lado de Maradona – apresentou um argumento ‘moral’ para defender a suspensão das aulas para assistir os jogos da Copa: “é que também aprendem-se valores dentro dos estádios…os alunos sabem que vão na escola não somente para aprender teoremas, mas também para cultivar os valores que são representados pelos jogadores”.

A medida causou intensa polêmica. Comentaristas esportivos e políticos alegaram que a suspensão das aulas para os alunos das escolas argentinas poderia ser aproveitada para aprender geografia – durante os jogos – graças às referências incontáveis que ocorreriam na TV e rádio sobre as seleções rivais da Argentina.

Alguns até argumentaram – recorrendo a Pitágoras e Tales de Mileto – que seria possível aplicar teoremas para fazer alusões entre um escanteio ou um tiro de meta com a geometria durante os jogos assistidos na sala de aula.

No entanto, diversos pedagogos e pais de família duvidam que os alunos fiquem concentrados nas explicações sobre geometria e os principais rios e montanhas da topografia sul-africana, e consideram que a medida não passa de populismo explícito.

 blogpythagoras

????????? ? ??????, isto é, Pitágoras de Samos (circa 580 aC a circa 490 a.C)…

 blogthales

…e o ????? ? ????????, nosso batuta Tales de Mileto (639 a.C a 547 a.C), voltam à baila em Buenos Aires, usados em defesa da Copa do Mundo.

Mario Oporto, secretário da Educação da província de Buenos Aires (que concentra 40% dos alunos de todo o país), discordou dos “efeitos culturais” argumentados pelo governo da presidente Cristina Kirchner: “a Copa não gerará um fato pedagógico…não acho que por causa de um jogo as crianças aprendam algo!”.

Mas, pressionado pelo governo Kirchner, o governador bonaerense, Daniel Scioli, aliado do casal presidencial, ordenou a “flexibilização” das atividades escolares durante a Copa, e disse que estão “bem” os eventuais atrasos dos alunos para chegar à escola por causa dos jogos. O motivo, segundo Scioli, é que esse torneio mundial “é um evento cultural e patriótico”.

Na Argentina, as escolas públicas (com raras exceções) estão sob controle das províncias. O governo federal não pode obrigar as províncias a flexibilizar os horários para os dias da Copa. No entanto, nos últimos dias – após relativa resistência – a maioria das províncias aderiu à iniciativa federal.

Gustavo Iaies, presidente da Fundação Centro de Estudos em Políticas Públicas, discorda. Segundo ele, a autorização do governo para que os jogos possam ser assistidos livremente não possui “justificativa pedagógica”.

Iaies sustenta que os alunos, em vez de aprender conteúdos, passarão horas assistindo os jogos. “Ora, essas crianças vão prestar atenção nos jogos, nos resultados, nas torcidas. Como qualquer pessoa, deverão ter que recuperar posteriormente o tempo que iam dedicar para o cumprimento de suas obrigações”.

Os analistas políticos consideram que o Parlamento, que pouco funcionou ao longo deste ano (basicamente por falta de quórum do governista partido Peronista) ficaria totalmente paralisado ao longo de todo o mês que transcorrerá entre o início e o final dos jogos na África do Sul.

blogvinhetas25-c

ESQUERDA E DIREITA UNEM-SE NO CHILE

Do outro lado da Cordilheira dos Andes, a esquerda e a direita do leque político concordam em “flexibilizar” os horários trabalhistas e escolares para que os chilenos possam assistir os jogos disputados por sua seleção nacional.

O caso será debatido nos próximos dias no plenário do Parlamento, onde o deputado socialista Fidel Espinoza apresentou um projeto de lei para permitir que os chilenos possam ver os jogos sem restrições.

“Tivemos um ano péssimo com o terremoto (de 8,8 graus na escala de Richter, que causou a morte de centenas de pessoas e graves prejuízos em fevereiro). Por isso, acreditamos que será uma festa única e fantástica, que queremos aproveitar”, argumentou Espinoza, que – além de destacar a condição sui generis do Chile nesta Copa por causa do sismo – ressaltou que esta é a primeira vez em 12 anos que o Chile participa de uma Copa.

O ministro da Educação, o conservador Joaquín Lavín, costumeiramente um ácido crítico dos socialistas, respaldou enfaticamente o projeto de lei de Fidel Espinoza: “os meninos precisam ver os jogos da Copa!”

 blogvinhetaanjoscorneta1…E já que falamos em Tales de Mileto, segue um link com o grupo musical humorístico argentino Les Luthiers, cantando o “Teorema de Tales”, aqui.

hirschfeldfarrago3PERFIL: Ariel Palacios fez o Master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995 é o correspondente de O Estado de S.Paulo em Buenos Aires. Além da Argentina, também cobre o Uruguai, Paraguai e Chile. Ele foi correspondente da rádio CBN (1996-1997) e da rádio Eldorado (1997-2005). Ariel também é correspondente do canal de notícias Globo News desde 1996.

Em 2009 “Os Hermanos recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra).

blog1vinhetalendonewsstand3 …E leia os supimpas blogs dos correspondentes internacionais do Estadão 

Gustavo Chacra (Nova York): http://blogs.estadao.com.br/gustavo-chacra/ 
Patricia Campos Mello (Washington) – http://blogs.estadao.com.br/patricia-campos-mello/ 
Claudia Trevisan (Pequim) – http://blogs.estadao.com.br/claudia-trevisan/
Adriana Carranca (Pelo Mundo) – http://blogs.estadao.com.br/adriana-carranca/ 

……………………………………………………………………………………………………
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados.
Tampouco serão publicados ataques pessoais entre leitores nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes.
Além disso, não publicaremos palavras ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico
).

…………………………………………………………………………………………………