Mr. Ao Ba Ma, I presume? No, Ou Ba Ma.

Cláudia Trevisan

19 Novembro 2009 | 12h50

Em um sinal do grau de sensibilidade que marca a relação entre Estados Unidos e China, até a versão em chinês do nome do presidente norte-americano pode dar margem para controvérsia. A versão “Ao Ba Ma” é consagrada por Pequim e utilizada pela imprensa do país. Mas na véspera da visita do democrata à China, a Embaixada dos Estados Unidos começou a utilizar “Ou Ba Ma”, com o argumento de que a transliteração é mais próxima da pronúncia original do nome.

O problema é que “Ou Ba Ma” é a mesma versão adotada em Taiwan, a ilha que os chineses tratam como uma província rebelde e que tem nos Estados Unidos seu maior aliado. Ignorando a opção dos norte-americanos, Pequim e os 350 milhões de usuários da internet na China continuam a usar os caracteres que são lidos como “Ao Ba Ma”.