Advogado ligado ao petróleo chefiará agência ambiental no governo Trump

Advogado ligado ao petróleo chefiará agência ambiental no governo Trump

Trump vem dando sinais desde sua eleição de que pode pôr a perder o legado de Obama na área ambiental

Redação Internacional

07 Dezembro 2016 | 19h00

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, escolheu o procurador-geral do Estado de Oklahoma, Scott Pruitt, para chefiar a Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês). Pruitt é um dos principais críticos da pasta e, segundo o New York Times, sua escolha assinala a determinação de Trump em desmantelar os esforços do presidente Barack Obama de contenção das mudanças climáticas.

O jornal americano afirma que Pruitt, um republicano, é considerado muito próximo das indústrias de combustíveis fósseis. Entre as críticas que faz à EPA, acusa a agência de supostamente exercer os limites da Constituição na hora de fixar regulações ambientais. Seu nome foi divulgado pela equipe de transição a alguns jornais americanos.

Scott Pruitt Attorney General of Oklahoma arrives to meet with U.S. President-elect Donald Trump at Trump Tower in Manhattan, New York City, U.S., December 7, 2016. REUTERS/Brendan McDermid

Scott Pruitt chega à Trump Tower. Foto: Brendan McDermid/Reuters

Negacionista do aquecimento global, ao qual considerou certa vez se tratar de um “conceito criado por e para chineses de modo a tornar a manufatura americana não competitiva”, Trump vem dando sinais desde sua eleição de que pode pôr a perder o legado de Obama nessa seara. O magnata, por exemplo, escolheu para fazer a transição na EPA Myron Ebell, também um conhecido negacionista das mudanças climáticas.

Ebell é diretor do Centro para Energia e Ambiente do Instituto Empresarial Competitivo (CEI, na sigla em inglês), um grupo que, segundo a imprensa americana, já recebeu financiamento de empresas do setor de petróleo, como Exxon Mobil e Indústrias Koch. / EFE, AP e NYT