Borussia Dortmund: atentado esclarecido e foi por motivo de ganância

Borussia Dortmund: atentado esclarecido e foi por motivo de ganância

Fátima Lacerda

21 Abril 2017 | 09h05

WohnortTätger©DPA/Christoph Schmidt

Nas primeiras horas da manhã de sexta-feira (21), a GS9, Tropa de Elite da polícia alemã fez buscas paralelas nas regiões da Renânia do Norte-Vestfália e na região de Baden-Württemberg, mas especificamente na cidade universitária de Tübingen. Dessas buscas resultou a prisão do alemão-russo Sergej W. de 29 anos. Somente 10 dias depois do atentado contra o ônibus do clube de Dortmund quando saia do hotel e Spa, L’Arrivee, o mesmo hotel em que o autor do atentado se hospedou. No momento de reserva, Sergej teria exigido um quarto com vista para o local onde os explosivos foram detonados-

Cronologia

Em comunicado veiculado pela Promotoria Federal na sexta-feira, ela finalmente, divulgou detalhes concretos do plano sórdido do atentado que foi por motivo de ganância sem qualquer implicaçao política ou religiosa.

Dia 11 de abril, o acusado realizou a compra de 15.000 títulos ou direitos de venda de ações do Dortmund, chamadas Put-Optionen, títulos esses que teriam prazo de validade até o dia 07 de junho próximo. O acusado esperava que, com o resultado do atentado e especulando seu desdobramento com morte de jogadores, as ações do clube teriam queda vertiginosa e ele teria um lucro do triplo do valor incialmente pago.


Sergej se mostrou, por sorte, um iniciante na trilha da criminalidade e planos macabros motivados pela ganância. A compra dos títulos foi realizada pela internet. A polícia identificou o número do IP como sendo do próprio hotel onde Sergej e também a equipe do Dortmund estiveram hospedados. O dinheiro para realizar a compra, Sergej obteve de um empréstimo no valor de 78.000 euros (20 centavos de euro por título) no dia 03 de abril. Se seu plano tivesse dado certo, seu ganho seria de, aproximadamente, 4 milhões de euros para quem atualmente, ganha um salário de eletricista, nada mal. Porém, na Alemanha toda a transação na bolsa de valores é registrada pelo orgão Finanzaufsicht Bafin e saltou aos olhos dos fiscais que declaram ao jornal berlinense Tagesspiegel, que algo nesse formato como de Sergej nunca teria caído na rede dos fiscais.

Pelo caráter amador de um crime sórdido, 10 dias é bastante tempo para juntar os indícios e transformá-los provas concretas. Na imprensa alema foi divulgada a crónica de atos do criminoso depois da explosão: Ele pediu um Steak no restaurante do hotel, usufruiu da oferta de massagens no Spa e ainda respondeu “com toda a tranquilidade” o inquérito feito pela polícia aos hóspedes naquela noite de 11 de abril.

Sergej W. foi detido em Tübingen por volta das 6 horas da manhã (horário local) quando ia para o trabalho.

O comunicado da Promotoria Federal também divulga que “o acusado reservou, na metade do mês 03, um quarto tanto para o período de 09 a 13 de abril quando para o período entre os dias 16 e 20.” No momento da reserva, ainda nao estava definido pela UEFA se o primeiro confronto seria em Dortmund ou no Principado de Monaco.

Detalhes sobre os explosivos

Os, ao todo 3 explosivos foram posicionados numa distância de 12 metros da grama em cima da calcada por onde passaria o ônibus do time. Os explosivos estavam posicionados para atingir a altura do ônibus e foram detonados de forma meticulosa e eficiente e, cada um, separadamente. O explosivo do meio estava colocado numa altura de 1 metro, alto demais para ser eficiente em atingir o ônibus. A Promotoria ainda comunica que estilhaços de metal acusavam um peso de 15 g e 70 mm de cumprimento foram encontrados até uma distância de 250 metros do local da explosão.

Terror islamista – Nein!

Para trabalhar e digerir um trauma são preciso duas coisas: segurança e calma. Depois da prisão do autor solitário do atentado, a equipe do time com o maior número de torcedores no mundo agora tem a certeza de que a notas do Estado Islâmico, alegando ser o autor do crime eram falsas e que a outra nota, jurando um outro atentado, também instigou o ceticismo dos especialistas. No dia seguinte ao atentado, dia 12 de abril, Frauke Köhler, porta-voz da promotoria divulgava que “dois suspeitos ligados à cena islamista” teriam sido presos, algo que se mostrou um tiro no pé, um erro crasso.

Lamentável a demora da Promotoria e da Polícia em mostrar serviço. Tivessem essas informações sido divulgadas dias antes ou mesmo logo depois do atentado, o goleiro Bürki talvez não tivesse mais que lutar com noites de insônia, o processo de recuperação do espanhol Bartra estaria mais avançado e, com certeza, o mundo teria visto uma outra equipe atuando no jogo de volta em Mônaco, quando valia uma vaga na semifinal da Liga dos Campeões. Esse teria sido um sinal para os sórdidos e para os criminosos que descobriram o futebol, como evento de grande visibilidade para seus atos de motivos torpes. Para topar enfrentar um trauma é preciso conhecer todos os motivos que o levaram a acontecer e poder digeri-los aos poucos. Para o Borussia, clube de futebol e empresa de papel-chave em toda a região, essas informações da Promotoria chegam tarde demais. Para os seres humanos Bartra, Bürki, Aubameyang, Reus e tantos outros da equipe, com certeza será um alívio que oferece real perspectiva de poder superar o trauma, mas não há motivo para romantismos futebolísticos e nem ilusões. O terror (em âmbito amador ou proveniente de uma organização terrorista) chegou ao futebol, no mais tardar depois do atentado no Stade de France em novembro de 2015. Para o Borussia, o terror em casa é uma nova realidade. Vai depender da habilidade e visão de técnico e diretoria para transcender o maior desafio da recente história do clube. O resultado dessa tarefa de Hércules será determinante para a dinâmica do grupo e resultará na equipe que veremos nos próximos jogos e torneios.

BVBSpruch “Nem uma bomba irá nos diminuir. O BVB é eterno!”

Atualmente ocupando o quarto lugar da tabela da Bundesliga, o BVB não tem muito o que alcançar nesta temporada, a nao ser qualificação direta para a próxima temporada da LC se terminar o campeonato da Bundesliga em terceiro lugar. Com muita sorte, o BVB pode jogar a final da Taçã da Alemanha. Para isso, os dortmundianos terão que enfrentar o FC Bayern em 26 de abril. O FC Bayern, também eliminado das LC nas quartas de final vem com tudo e disposto a comer grama e, pelo menos, fechar pelo menos o Double. Se até lá a fitness mental do BVB terá atingido um nível para enfrentar o arquirival, só o tempo irá dizer. Porém, o amor verdadeiro dos torcedores é certo, como mostra o grafiti postado acima.