As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que o NY Mets é como o Palmeiras, Vasco, Torino e Racing?

gustavochacra

26 Outubro 2015 | 17h24

Torcer para o New York Mets é como torcer para o Palmeiras, para o Vasco, para o Torino, para o Racing, para o Atlético de Madrid e para o Tottenham. É como tomar chá em vez de café. Como comer pera em vez de maçã ou mexerica em vez de laranja. Como decidir jogar handball em vez de futebol de salão na educação física. É como pedir Pepsi em vez de Coca. Tomar Toddy em vez de Nescau. É como preferir morar em Chicago, Antuérpia, Turim, Lyon, Alexandria e Belo Horizonte em vez de Nova York, Bruxelas, Milão, Paris, Cairo e Rio.

Torcer para o Mets é torcer para o aquele não é o óbvio, não é a primeira escolha. É para pensar e escolher. É querer ir contra o status quo, contra o establishment. É não querer o mais fácil.

Em Nova York, o óbvio é ser o Yankees, equivalente do Flamengo, do Corinthians, do Real Madrid e do Boca Juniors. É o time de Nova York. É o time mais vencedor. É o time com a maior torcida. Se alguém viaja a Buenos Aires, volta com a camisa do Boca, não com a do Racing. Se um turista compra uma camisa em Nova York, tende a ser a do Yankees.

O Mets, com dois títulos e há 29 anos na fila, é diferente, é especial, como o Palmeiras ou o Vasco. O Alex Kliment, amigo meu americano que viveu em São Paulo, disse que, como palmeirense, eu deveria ser Mets, o time dele. Explicou como é igual torcer sofrer pelos dois times. E eu tentei convencer o Thomas Piper, amigo meu americano casado com uma brasileira, que, por ele também ser Mets, deveria ser palmeirense no Brasil.

Infelizmente, fui muito óbvio quando cheguei a Nova York e me tornei torcedor do Yankees. Uma pena. Tentei virar Mets e até convenci os meus sobrinhos a torcerem pelo time. Mas fracassei. A magia do Yankees stadium me dominou. Torço pelo Corinthians de Nova York (e passei a ter simpatia pelo Chicago Cubs). E o Thomas torce pelo Yankees de São Paulo. Terá a vantagem, porém, de ver os dois times dele (Corithians e Mets) serem campeão neste ano. Amanhã, começa a World Series entre o Mets e o Kansas City Royals.

Guga Chacra, blogueiro de política internacional do Estadão e comentarista do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor) e no Instagram