As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Trump terá explicação para a derrota dele no conservador Alabama?

gustavochacra

13 Dezembro 2017 | 01h58

Em uma gigantesca derrota para Donald Trump, o candidato democrata, Doug Jones, venceu a eleição para o Senado no Alabama, um dos mais republicanos e conservadores dos Estados Unidos. Desde os anos 1990, um democrata não vencia as eleições. E Trump apostou e fez campanha para o candidato republicano Roy Moore, um acusado de pedofilia, islamofóbico e homofóbico, além de já ter dado declarações elogiando a época da escravidão.

Verdade, Trump não apoiou Moore nas primárias. Mas nas últimas semanas decidiu entrar com força na campanha do republicano no Alabama seguindo os conselhos de Steve Bannon, apesar de lideranças republicanos no Congresso e também fora de Washington tenham se posicionado claramente contra Moore devido às acusações de pedofilia. Trump deveria poderia ter feito o mesmo, em vez de apoiar Moore, que talvez seja um dos piores candidatos da história.

Agora, os republicanos terão 51 senadores contra 49 democratas. Caso fique 50 a 50, os republicanos ainda têm a vantagem porque o vice-presidente possui o voto de desempate. Mas é uma margem muito arriscada.