Visita

Estadão

08 Novembro 2009 | 20h02

Hoje é provalvelmente um dos últimos dias “quentes” e bonitos de Boston. A temperatura é mais ou menos 15 graus e o dia está realmente ensolarado e silencioso aqui no MIT. Apesar de ter duas provas nessa semana, decidi que seria um bom dia para fazer algo que todo turista faz mas raramente alunos do MIT fazem: sentar no gramado do Killian Court (onde está o prédio mais famoso do MIT, com o domo e as colunas grandes). Resolvi ainda me sentar ao lado do corredor do Building 4, onde sempre tem gente tocando piano ou violino. Então, a paisagem realmente está bem agradável: de frente ao Charles River, com as árvores amarelas e vermelhas, um monte de folhas secas no chão, cheiro de grama, esquilos, pôr do sol e boa música. O único problema são as nozes ou galhos que caem constantemente das árvores e podem atingir minha cabeça, ou pior, meu computador.

Nesse fim de semana, meu pai veio me visitar, o que me deixou bem feliz! Conseguimos passear bastante por Boston e pelo campus, alem de estudar um pouquinho também. Foi realmente bom lembrar de casa e da vida no Brasil para recolocar o significado de estar aqui. Na rotina, é bem comum esquecer de que estou realmente no MIT, de que existiu uma vida pré-college e de tudo que tive que passar para estar aqui. Com tantos psets, provas, pesquisas, papers e pre-labs para fazer é fácil se alienar de tudo o que esse lugar representa e das milhares de oportunidades que se pode encontrar. Me faz repensar se vale a pena gastar todo o meu tempo aqui estudando para tirar um 100 nas provas (considerando que nesse semestre as notas nem aparecem no record) ou se eu deveria estar explorando mais todas as oportunidades de pesquisa, community service, e outras coisas interessantes para se fazer. A conclusão parece ser óbvia.

Hoje, andando aqui em Cambridge um pouco além do MIT, passamos por vários centros de pesquisa, institutos e indústrias com pesquisas interessantíssimas em biotecnologia e engenharia, como o Draper lab, Novartis e o Broad Institute. Me deu um pouco de peso na consciência ainda não ter pesquisado mais sobre esses lugares, agora que estou tão perto. É realmente fácil ficar bitolado nas suas classes e esquecer de que, além delas, existe muito mais no MIT e nos arredores.

E já é noite.