100 dias de Trump: promessas e realidade

Lourival Sant’Anna

30 Abril 2017 | 09h46

Desde que Donald Trump se elegeu, o maior anseio dos aliados e parceiros dos Estados Unidos passou a ser que ele não cumprisse suas promessas de campanha, tanto no comércio quanto na defesa e na política externa. É o que tem acontecido, para alívio de europeus, mexicanos, canadenses, japoneses, sul-coreanos e chineses, e para apreensão de russos e do regime sírio. Israel e Irã ainda são mantidos em suspense.
Isso não significa necessariamente que o mundo esteja mais seguro, mais distante de uma guerra. As contingências internas – sempre elas – ainda podem levar Trump a acreditar que uma aventura militar seja o atalho mais curto para reforçar seu poder em casa.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão

Mais conteúdo sobre:

Trump100cemdias