Desradicalização

Lourival Sant’Anna

17 Dezembro 2017 | 08h26

“Ninguém nasce terrorista.” Com esta frase, Zineb Benalla, pesquisadora do terrorismo na região do Sahel, no centro-norte da África, abriu uma discussão sobre prevenção do radicalismo islâmico, durante os Atlantic Dialogues, em Marrakesh. Presentes, profissionais africanos e europeus, que trabalham com a “desradicalização” de terroristas presos e com campanhas para “deslegitimar” a ideologia de grupos como Al-Qaeda, Estado Islâmico e Boko Haram, em escolas e mesquitas. Sem isso, a simples repressão equivale a enxugar gelo.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão