Diante da onda de frio extremo nos EUA, Trump ironiza ‘o bom e velho’ aquecimento global
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diante da onda de frio extremo nos EUA, Trump ironiza ‘o bom e velho’ aquecimento global

Presidente americano disse em sua conta no Twitter que a véspera de ano-novo pode ser a mais fria já registrada e ‘talvez possamos usar um pouco do bom e velho aquecimento global pelo qual nosso país, e não outros países, iria pagar trilhões de dólares para se proteger’

Redação Internacional

29 Dezembro 2017 | 08h48

WASHINGTON – O presidente dos EUA, Donald Trump, ironizou na quinta-feira 28 o aquecimento global, enquanto o norte do país passa por uma onda de frio extremo com temperaturas de até -40°C.

+ Trump organiza concurso para ‘coroar o rei das notícias falsas’

“No leste, pode ser a véspera de ano-novo mais fria já registrada. Talvez possamos usar um pouco do bom e velho aquecimento global pelo qual nosso país, e não outros países, iria pagar trilhões de dólares para se proteger. Agasalhem-se!”, disse o presidente em sua conta no Twitter.

+ Retrospectiva: Trump agita o mundo em 2017 com uma política externa desconcertante

Trump retirou os EUA do acordo climático de Paris e escolheu defensores dos combustíveis fósseis para ocupar postos ambientais importantes (Foto: EFE/MICHAEL REYNOLDS)

Trump retirou os EUA do acordo climático de Paris e escolheu defensores dos combustíveis fósseis para ocupar postos ambientais importantes (Foto: EFE/MICHAEL REYNOLDS)

O magnata de 71 anos sempre foi cético com relação às mudanças climáticas, chegando a afirmar, antes de ser presidente, que se tratava de uma “invenção” da China.

Trump retirou os EUA do acordo climático de Paris e escolheu defensores dos combustíveis fósseis para ocupar postos ambientais importantes. Seu governo também eliminou as mudanças climáticas da lista de ameaças à segurança nacional.

“A mudança climática é muito real, mesmo quando faz frio do lado de fora da Trump Tower neste momento”, ironizou na mesma rede social o diretor da Academia de Ciências da Califórnia, Jon Foley. “Da mesma maneira, a fome permanece no mundo, apesar de alguém acabar de comer um Big Mac”, disse ele.

“A meteorologia não é a mesma coisa que o clima. Até o presidente pode entender isto. Não é tão complicado”, declarou Pramila Jayapal, deputada democrata por Washington.

Em muitos municípios americanos foram registrados recordes de temperaturas negativas, como Embarrass e Cotton, em Minessota, com 40ºC abaixo de zero; 35 graus negativos em Watertown, Nova York; e 20 graus negativos na cidade de Detroit, em Michigan. Nos próximos dias são esperadas temperaturas ainda mais baixas, vento de origem ártica e neve em boa parte do país.

A onda de frio deste mês encerra um ano em que fortes furacões, ondas de calor, inundações e incêndios florestais causaram estragos no mundo todo. / AFP e EFE