Um ano de Primavera Árabe

As revoltas no Oriente Médio e no norte da África, que ficaram conhecidas como Primavera Árabe, completam um ano. Ao longo desse tempo, quatro ditadores desapareceram – o presidente da Tunísia, Zine al-Abdine Ben Ali, se exilou na Arábia Saudita; o presidente do Egito, Hosni Mubarak, renunciou após uma insistente presença de manifestantes na praça Tahrir, no centro do Cairo; Muamar Kadafi, da Líbia, foi capturado e morto por opositores depois de meses de guerra civil; e o presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, assinou um acordo para deixar o poder meses depois de ser gravemente ferido em um ataque. Dois desses países já foram às urnas - em eleições disputadas, a Tunísia elegeu o Ennahda, partido islâmico moderado. No Egito, em uma votação que ainda não foi concluída, a Irmandade Muçulmana, legenda também islâmica moderada, e o Al-Nur, partido salafista, aparecem como favoritos. As manifestações começaram em dezembro de 2010 quando um jovem tunisiano ateou fogo ao próprio corpo em protesto contra as condições de vida no país. Ele não sabia, mas o ato desesperado, que terminou com a própria morte, seria o pontapé inicial do que viria a ser a Primavera Árabe. Protestos se espalharam rapidamente por todo o Oriente Médio e norte da Africa - e o fenômeno está ainda inacabado. Como no modelo líbio, a Síria vive um violento conflito entre opositores e apoiadores do regime de Bashar al-Assad, que está no poder desde 2000, quando o pai dele, Hafez, morreu. A ONU diz que mais de 5 mil pessoas já morreram nos confrontos, e uma comissão liderada pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro aponta que houve "crimes contra a humanidade no país". Assad, contudo, não dá sinais de que deverá sair. Veja também

Estadão

17 Dezembro 2011 | 03h48

"Liberdade". Túnis, 22/01/2011. Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters

Manifestação pela renúncia do presidente Ali Abdullah Saleh, em Sanaa, Iêmen. 01/03/2011. Foto: Muhammed Muheisen/AP


Ato pró-Assad em Damasco, Síria. 28/11/2011. Foto: Sana/Reuters

Opositores ao regime de Kadafi rezam após controlar hotel em Sirte, Líbia. 07/10/2011. Foto: Saad Shalash/Reuters

Opositor se esconde de manifestantes pró-Mubarak, no Cairo. Egito, 02/02/2011. Foto: Sebastian Scheiner/AP

Manifestantes pró-Assad em Latakia, Síria. 27/10/2011. Foto: Sana/Reuters

Policiais detêm manifestante durante confronto em Túnis, Tunísia. 14/01/2011. Foto: Christophe Ena/AP

Imagem de menino morto em conflito contra o regime de Kadafi em Benghazi, Líbia. 06/03/2011. Foto: Suhaib Salem/Reuters

Egípcios contrários ao regime de Mubarak entram em confronto com a polícia em Suez. 27/01/2011. Foto: Mohamed Abd El-Ghany/Reuters

Sírios pró-Assad durante protesto na capital, Damasco. 15/04/2011. Foto: Muzaffar Salman/AP

Forças armadas sírias em treinamento. 04/12/2011. Foto: Sana/Reuters

Tunisianos protestam contra o partido islâmico Ennahda. Túnis, 02/11/2011. Foto: Zoubeir Souissi/Reuters

Área destruída na qual Muamar Kadafi se escondeu em Sirte, Líbia. 21/10/2011. Foto: Esam Al-Fetori/Reuters

Sanaa, Iêmen. 23/11/2011. Foto: Khaled Abdullah/Reuters

Menino brinca com um tanque que pertenceu às forças armadas de Kadafi. Misrata, Líbia. 27/10/2011. Foto: Thaier al-Sudani/Reuters

Protesto contra o regime sírio na Jordânia. 07/10/2011. Foto: Muhammad Hamed/Reuters

Veículos pertencentes a Kadafi são bombardeados pela oposição em estrada entre Benghazi e Ajdabiyah. 20/03/2011. Foto: Goran Tomasevic/Reuters

Manifestantes na praça Tahrir, no Cairo. Egito, 05/02/2011. Foto: Steve Crisp/Reuters

Protesto pedindo a saída do presidente do Iêmen, Saleh, em Taiz. 17/07/2011. Foto: Khaled Abdullah/Reuters

Opositores se organizam para ataque à cidade de Ajdabiyah. Líbia, 18/05/2011. Foto: Mohammed Salem/Reuters

Egípcios pró e contra o regime de Mubarak se enfrentam no Cairo. 02/02/2011. Foto: Ahmed Ali/AP

Opositor ao regime de Kadafi durante guarda na fronteira entre Líbia e Tunísia. 23/04/2011. Foto: Zoubeir Souissi/Reuters

Tunisianos protestam pelo fim de todos os resquícios do regime do ex-presidente Ben Ali. Túnis, 23/01/2011. Foto: Zohra Bensemra/Reuters

Opositores a Kadafi disparam contra as últimas tropas do ditador em Sirte. 24/09/2011. Foto: Goran Tomasevic/Reuters

Manifestantes e policiais se enfrentam diante do parlamento na Cidade do Kuwait. 16/11/2011. Foto: Stringer/Reuters

Protesto pró-Assad na Síria. 02/12/2011. Foto: Divulgação

Corpo de Kadafi após sua captura. Misrata, 21/10/2011. Foto: Manu Brabo/AP

Confronto entre policiais e manifestantes no Egito. Alexandria, 23/11/2011. Foto: Mohamed Abd El-Ghany/Reuters

Opositores enfrentam tropas de Kadafi na Líbia. 09/03/2011. Foto: Asmaa Waguih/Reuters

Manifestante com bandeira do Bahrein diante de prédio da ONU no Líbano. Beirute, 16/03/2011. Foto: Cynthia Karam/Reuters

Munição usada em confrontos entre policiais egípcios e opositores a Mubarak. Cairo, 20/11/2011. Foto: Amr Abdallah Dalsh/Reuters

Protestos contra o regime na Jordânia. 07/10/2011. Foto: Muhammad Hamed/Reuters

Mulheres pintam nas mãos as cores de bandeiras de Iêmen, Tunísia, Líbia, Síria e Egito. Iêmen, 04/11/2011. Foto: Louafi Larbi/Reuters

Cemitério de soldados leais a Kadafi, na Líbia. Misrata. 25/10/2011. Foto: Thaier al-Sudani/Reuters

Combatentes contrários ao regime com bandeira anterior ao golpe de 1969 em cerimônia de libertação. Bengazhi. 23/10/2011. Foto: Esam Al-Fetori/Reuters

Ambulância deixa rastro de luz ao transportar feridos na praça Tahrir, Egito. 21/11/2011. Foto: Amr Abdallah Dalsh/Reuters

Homem contrário a regime de Kadafi dispara RPG contra forças do ditador em Sirte, Líbia. 16/10/2011. Foto: Saad Shalash/Reuters

Menino mutilado celebra morte de Kadafi. Tunísia, 20/10/2011. Foto: Zohra Bensemra/Reuters

Opositores ao governo de Saleh, no Iêmen. 08/09/2011. Foto: Khaled Abdullah/Reuters

Mulher exibe foto de Saleh em ato pró-regime em Sanaa, Iêmen. 23/09/2011. Foto: Stringer/Reuters

Tanque de opositores dispara contra forças pró-Kadafi em Sirte, Líbia. 18/10/2011. Foto: Saad Shalash/Reuters

Escolta do Rei Hamad na praça da Pérola, centro dos protestos no Bahrein. 19/03/2011. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

Corrente humana durante protesto contra o regime do Bahrein. Manama, 05/03/2011. Foto: James Lawler Duggan/Reuters

Manifestação pró-Bashar al-Assad, na Síria. Damasco, 09/12/2011. Foto: Muzaffar Salman/AP

Protesto contra o regime de Bahrein. Manama, 23/09/2011. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

Manifestação na praça Tahrir, Cairo. Egito, 08/07/2011. Foto:Mohamed Abd El-Ghany/Reuters

Membro da família de menina morta durante protestos contra polícia em Manamá chora em funeral. Bahrein, 22/03/2011. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

Policiais se protegem de coquetéis molotov jogados por protestantes na Argélia. 23/03/2011. Foto: Louafi Larbi/Reuters

Opositor pisa em foto do então presidente Hosni Mubarak durante protesto no Cairo. Egito, 15/08/2011. Foto: Asmaa Waguih/Reuters

Estudantes participam de manifestação contra a presença de tropas da Arábia Saudita em Bahrein. Irã, 03/05/2011. Foto: Caren Firouz/Reuters

Egípcios pró-Mubarak protestam após a saída do ditador do poder. Cairo, 25/04/2011. Foto: Mohamed Abd El-Ghany/Reuters

Familiares choram por perda de parentes durante protestos em Bahrein. 22/03/2011. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

Mulher usa soldado como escudo em meio a tiroteio na Tunísia. 20/01/2011. Foto: Zohra Bensemra/Reuters

"Sou um estudante da Universidade de Bahrein e fui atacado por manifestantes" e "Qual revolução destrói a economia de um país?". Bahrein, 17/09/2011. Foto: Hamad I Mohammed/Reuters

Manifestantes da Jordânia protestam contra governo. 07/10/2011. Foto: Muhammad Hamed/Reuters

Com as cores do Egito, manifestantes pintam seus rostos para pedir a saída do presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh. Sanaa, 11/10/2011. Foto: Khaled Abdullah/Reuters

Opositores atiram contra forças de Kadafi em Sirte. Líbia, 15/10/2011. Foto: Asmaa Waguih/Reuters

Capa de dezenas de jornais por todo o mundo: opositores comemoram a conquista da cidade natal de Kadafi, Sirte. Líbia, 20/10/2011. Foto: Manu Brabo/AP