As mudanças de opinião de Trump ao longo do tempo em suas próprias palavras
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As mudanças de opinião de Trump ao longo do tempo em suas próprias palavras

Veja como o presidente americano mudou seu posicionamento com relação à Otan, China e Síria

Redação Internacional

15 Maio 2017 | 14h48

O presidente dos EUA, Donald Trump, já está há mais de 100 dias no cargo. Ao longo desse tempo, já mudou sua opinião com relação à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), China e Síria.

Veja abaixo, nas palavras do próprio mandatário, suas mudanças de posicionamento.

Imprensa americana tem destacado as contradições de Trump com relação a certos assuntos (Foto: AFP PHOTO / SAUL LOEB)

Imprensa americana tem destacado as contradições de Trump com relação a certos assuntos (Foto: AFP PHOTO / SAUL LOEB)

Otan


Trump costumava fazer diversas críticas à Otan alegando que ela não focava no combate ao terrorismo. Apesar de pouca coisa ter mudado com relação ao assunto desde que chegou à presidência, o líder mudou seu modo de ver a aliança.

“Acho que a Otan pode estar obsoleta.”

23 de março de 2016 (entrevista à agência de notícias Bloomberg)

 

“Ele me perguntou sobre a Otan. Eu disse que está obsoleta.”

4 de abril de 2016 (evento de campanha em Wisconsin, ao descrever uma entrevista com Wolf Blitzer)

 

“Eu disse que a Otan está obsoleta porque não está tratando do terror.”

31 de julho de 2016 (entrevista à emissora ABC)

 

“Eu disse há muito tempo que a Otan tinha problemas. Número 1, estava obsoleta, porque havia sido planejada há muitos anos.”

16 de janeiro de 2017 (entrevista aos jornais Times, do Reino Unido, e Bild, da Alemanha)

 

“Eu disse que era obsoleta. Não é mais.”

12 de abril de 2017 (coletiva de imprensa na Casa Branca)

 

China

Ao longo de sua campanha eleitoral, Trump condenou a China por manipular sua moeda para tirar vantagem do comércio.

“Eles estão desvalorizando sua moeda para um nível que vocês não iriam acreditar. Isso torna impossível que nossas empresas possam competir, impossível.”

16 de junho de 2015 (discurso no qual anunciou sua candidatura à presidência)

 

“Eles são os maiores manipuladores de moeda.”

21 de julho de 2016 (discurso na Convenção Nacional Republicana)

“Irei instruir meu secretário do Tesouro a qualificar a China como uma manipuladora de moeda, a maior do mundo.”

24 de agosto de 2016 (discurso de campanha)

 

“Acho que ele são grandes campeões em manipulação de moeda.”

23 de fevereiro de 2017 (entrevista à agência de notícias Reuters)

 

“Quando se fala de manipulação de moeda, quando se fala sobre desvalorizações, eles são campeões mundiais.”

2 de abril de 2017 (entrevista ao jornal Financial Times)

 

“Eles não são manipuladores de moeda.”

12 de abril de 2017 (entrevista ao jornal The Wall Street Journal)

 

Síria

Trump insistiu que o ex-presidente Barack Obama não deveria se envolver na guerra civil síria. Durante sua campanha presidencial, enfatizou combater o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) ao invés do governo da Síria.

“A Síria não é problema nosso.”

29 de maio de 2013 (publicação no Twitter)

 

“Não ataquem a Síria.”

5 de setembro de 2013 (publicação no Twitter)

 

“Não gosto do (presidente sírio, Bashar) Assad, mas ele está matando membros do EI, a Rússia está matando membros do EI e o Irã está matando membros do EI.”

9 de outubro de 2013 (debate presidencial)

“O que deveríamos fazer é focar no EI. Não deveríamos focar na Síria.”

26 de outubro de 2016 (entrevista à Reuters)

 

“Essa noite eu ordenei um ataque militar que teve como alvo a base aérea na Síria onde um ataque químico foi realizado. Peço que todas as nações civilizadas se unam a nós para acabar com a matança e o banho de sangue na Síria.”

6 de abril de 2017 (na televisão)

/ NYT