1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Atentados terroristas mais recentes realizados na Bélgica

Redação Internacional

23 março 2016 | 11:55

Confira os últimos episódios de violência que tiveram o território belga como cenário

BRUXELAS – A cidade de Bruxelas, na Bélgica, sofreu na terça-feira dois atentados terroristas, cuja autoria foi reivindicada pelo grupo jihadista Estado Islâmico, no Aeroporto Internacional de Zaventem e no metrô de Bruxelas. Os ataques deixaram mais dezenas de mortos e mais de 250 feridos.

Mas esta não foi a primeira vez que o território belga foi vítima de ações de terror. Confira abaixo os episódios mais recentes de violência que tiveram a Bélgica como cenário.

Explosões fecham aeroporto e metrô de Bruxelas
AFP PHOTO / JOHN THYS
Explosões fecham aeroporto e metrô de Bruxelas

Polícia belga estava em alerta para possíveis represálias por conta da prisão de um dos principais suspeitos de ter comandado os atentados em Paris em 2015. Leia mais

24 de maio de 2014

Quatro pessoas foram mortas em um tiroteio no Museu Judeu no centro de Bruxelas. O atirador era o francês Mehdi Nemmouche, de 29 anos, que acabou preso em Marselha, na França. Extraditado, ele aguarda julgamento na Bélgica.

29 de setembro de 2014

Procuradores belgas acusam 46 membros do grupo islâmico Sharia4Belgium de pertencer à organização terrorista e fazer lavagem cerebral em um jovem na Bélgica para lutar na guerra da Síria.

15 de janeiro de 2015

Uma semana após os atentados na redação da revista satírica Charlie Hebdo e em um mercado judeu, em Paris, policiais belgas mataram dois homens que abriram fogo contra eles durante uma das várias batidas contra um grupo islamista que estaria prestes a realizar “ataques terroristas em grande escala”, segundo procuradores federais.

21 de agosto de 2015

Ayoub El Khazzani, um marroquino de 25 anos, feriu três pessoas em um trem de alta velocidade no norte da França antes de ser dominado pelos passageiros. Entre eles, havia um soldado americano.

13 de novembro de 2015

Paris sofreu múltiplos ataques em restaurantes e bares da cidade, em uma casa de shows e nos arredores do Stade de France, que deixaram 130 mortos e mais de 360 feridos. O grupo Estado Islâmico assumiu autoria dos atentados. Dois dos dez envolvidos nas ações eram cidadãos belgas, e outros três eram franceses que viviam em Bruxelas.

Bélgica amanhece com homenagens e sob clima de terror
AFP PHOTO / Belga
Bélgica amanhece com homenagens e sob clima de terror

Bruxelas tenta retomar a vida normal após os atentados que deixaram dezenas de mortos e feridos, e abalaram o continente europeu

14 de novembro

Salah Abdeslam, francês de 26 anos, que estava entre os envolvidos nos atentados em Paris, pediu aos seus amigos que o buscassem de carro na capital francesa após ele mudar de ideia e não se explodir durante as ações. Seu colete de bombas foi encontrado mais tarde por policiais em uma lata de lixo no subúrbio da cidade. Abdeslam desceu do veículo em Bruxelas e seguia foragido.

15 de março de 2016

Policiais belgas mataram um homem armado após vários agentes ficarem feridos em uma operação de busca – ligada à investigação dos ataques em Paris – em um apartamento. Os outros dois suspeitos escaparam. Buscas no local indicaram a presença de DNA de Salah Abdeslam.

18 de março de 2016

Polícia da Bélgica prendeu Abdeslam após troca de tiros em Bruxelas. Ministros do Interior e das Relações Exteriores belgas alertaram que as autoridades suspeitavam que Abdeslam e seus cúmplices planejavam um ataque em retaliação a sua prisão.

22 de março de 2016

Bruxelas foi atingida por atentados terroristas que deixaram dezenas de mortos e mais de 250 feridos em explosões em um aeroporto e em uma estação de metrô. Polícia belga identificou dois dos autores dos ataques: os irmãos Khalid e Ibrahim El Bakraoui. Segundo o procurador Frederic van Leeuw, o terceiro homem que aparece nas imagens das câmeras de segurança do aeroporto de Bruxelas é Najim Laachraui, o comandante dos ataques, que continua foragido. /REUTERS