Big Ben ficará em silêncio para série de consertos em 2017
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Big Ben ficará em silêncio para série de consertos em 2017

Patrimônio mundial da humanidade ficará sem informar as horas por ‘vários meses’ e suas badaladas só acontecerão em ‘eventos importantes’

Redação Internacional

27 Abril 2016 | 07h00

LONDRES – O Big Ben, sino do relógio da Torre Elizabeth, no lado noroeste do Palácio de Westminster em Londres, será silenciado durante uma série de consertos urgentes em 2017, informou a Câmara dos Comuns na terça-feira.

Uma porta-voz parlamentar explicou que a famosa instalação, patrimônio mundial da humanidade, ficará sem soar e informar a hora “durante vários meses”. As badaladas só ocorrerão “por eventos importantes”.

Tanto o grande sino como o relógio e a própria torre devem ser reparados com urgência, pois há fendas e problemas estruturais que colocam sua sobrevivência em perigo, afirmou a porta-voz.

Cálculos apontam que o processo de reparação, que custará cerca de 29 milhões de libras (US$ 42 milhões), durará aproximadamente três anos. A reforma também incluirá uma renovação do mecanismo do relógio e mudanças nas cores para reproduzir o projeto original de Augustus Pugin em meados de século XIX.

Construída em 1856, a Torre Elizabeth, de 96 metros de altura, apresenta fendas e corrosão em seu telhado de ferro. A estrutura que suporta os sinos também deve ser substituída.

Será feito um elevador para melhorar o acesso ao local, ao qual só é possível chegar subindo 334 degraus, e as luzes que iluminam os ponteiros do relógio serão substituídas por outras de baixo consumo.

Tom Brake, deputado da comissão da Câmara dos Comuns, que supervisiona a restauração das casas do Parlamento, lembrou que a Torre Elizabeth, batizada assim em 2012 em homenagem à rainha Elizabeth II, é “um símbolo do legado democrático da Grã-Bretanha”, por isso “deve ser preservada para futuras gerações”.

“Estas obras são necessárias a curto prazo, mas servirão para preservar o Big Ben e assegurar sua sustentabilidade a longo prazo”, explicou.

O responsável pelo relógio, Steve Jaggs, disse que, embora “uma equipe de mecânicos altamente qualificados cuidem diariamente do monumento, para que o relógio continue a informar a hora é preciso restaurá-lo”.

“Este projeto nos permitirá dar a um dos monumentos mais conhecidos da Grã-Bretanha o cuidado que tão desesperadamente necessita e merece”, disse. /EFE

Leia mais:

Big Ben tem surto e sai do horário

Big Ben vai se chamar Elizabeth Tower

Badaladas do Big Ben completam 150 anos