Cronologia: Ataques a cristãos no Egito
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cronologia: Ataques a cristãos no Egito

Minoria religiosa copta tem sido alvo de extremistas há muito tempo; relembre alguns atentados

Redação Internacional

09 Abril 2017 | 16h44

CAIRO – Pelo menos 44 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em dois atentados a bomba em duas igrejas cristãs coptas no Egito neste domingo, 9. O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu autoria dos ataques, que ocorreram uma semana antes do dia em que os cristãos celebram a Páscoa.

Os coptas têm sido há muito tempo um alvo dos extremistas. Veja abaixo os maiores ataques realizados contra esses cristãos no Egito nos últimos anos.

Atentados a duas igrejas cristãs no Egito ocorreram uma semana antes do dia em que os cristãos celebram a Páscoa (Foto: EFE/EPA/MOHAMED HOSSAM)

Atentados a duas igrejas cristãs no Egito ocorreram uma semana antes do dia em que os cristãos celebram a Páscoa (Foto: EFE/EPA/MOHAMED HOSSAM)

Maio de 2016

Um grupo muçulmano saqueou e ateou fogo em sete lares cristãos em Minia após a circulação de um rumor de que um homem cristão havia tido um relacionamento com uma mulher muçulmana. A mãe do indivíduo acusado foi deixada nua em público como forma de humilhação.

Julho de 2016

O papa Tawadros II afirmou que desde 2013 foram registrados 37 ataques sectários contra cristãos no Egito, quase um atentado por mês. Um grupo muçulmano esfaqueou até a morte o cristão copta Fam Khalaf, de 27 anos, no sul da cidade de Minia em razão de uma disputa pessoal.

Dezembro de 2016

Um bombardeio em uma capela próxima à principal catedral cristã copta no Cairo matou 30 pessoas e feriu dezenas durante uma missa de domingo. A ação foi reivindicada pelo EI e considerada uma das mais mortais contra a minoria religiosa nos últimos anos.

Fevereiro de 2017

Centenas de cristãos egípcios fugiram de suas casas no norte da Península do Sinai, temendo ataques realizados por militantes do EI. Um grupo afiliado aos extremistas no norte do Sinai matou ao menos sete cristãos na região em menos de um mês. Os jihadistas divulgaram um vídeo no qual prometiam parar com os ataques contra a minoria religiosa, descrevendo-os como sua “presa favorita”.

Abril de 2017

Dois atentados em igrejas cristãs nas cidades de Tanta e Alexandria deixaram mais de 40 mortos e centenas de feridos. O EI assumiu a autoria das ações. / ASSOCIATED PRESS