Cronologia: Ataques de hackers ao Partido Democrata e acusações à Rússia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cronologia: Ataques de hackers ao Partido Democrata e acusações à Rússia

A campanha presidencial de 2016 foi marcada pelas acusações de que hackers russos atacaram o Partido Democrata com a intenção de interferir na eleição em favor de Trump

Redação Internacional

11 Julho 2017 | 17h08

Novembro de 2015
A agência de espionagem britânica GCHQ registra contatos suspeitos entre Donald Trump e supostos agentes russos. Esses contatos ocorreram em Londres e prosseguiram em 2016.

Maio de 2016
Surgem os primeiros relatos de ataques de hackers contra o Partido Democrata. Nos dois meses seguintes, surgem relatos de que agências americanas de inteligência tinham rastreado os ataques até chegarem a hackers russos.


Junho
Donald Trump Jr, filho mais velho do magnata trocou e-mails com o publicitário Rob Goldstone, que intermediou o encontro entre ele e a advogada russa Natalia Veselnitskaya, que teria informações prejudiciais contra a democrata Hillary Clinton

Trump Jr. admite que se encontrou com advogada russa em busca de informações sobre Hillary  (foto: Al Drago/The New York Times)

Julho
Na véspera da Convenção Nacional Democrata, o site WikiLeaks, publica 20 mil e-mails do partido roubados pelos hackers. Agentes da inteligência dos EUA dizem acreditar que a Rússia estava por trás da operação. Na mesma época, Paul Manafort, gerente da campanha de Trump, é acusado de aceitar milhões de dólares para representar interesses russos na Ucrânia e nos EUA, incluindo negociações de um oligarca próximo ao presidente russo, Vladimir Putin. Manafort foi investigado pelo FBI e renunciou como chefe da campanha de Trump.

Outubro
A agência americana de inteligência divulga declaração acusando formalmente a Rússia de orquestrar o hackeamento do Comitê Nacional Democrata

Fevereiro
O principal assessor do presidente para assuntos de segurança, Michael Flynn, renuncia após a descoberta de que discutiu a potencial suspensão das sanções contra a Rússia com o embaixador russo em Washington, Sergei Kislyak, antes de Trump assumir a presidência

Maio
Diretor do FBI James Comey é demitido após revelar que Trump lhe pediu que encerrasse uma investigação contra seu conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn. O conselheiro pediu demissão em fevereiro após a imprensa revelar que ele manteve contatos indevidos com autoridades russas e mentiu a seus superiores a respeito disso. Robert Mueller é designado conselheiro especial para investigar o papel da Rússia nas eleições de 2016

James Comey acusa Trump de ter pedido que parasse investigação sobre Michael Flynn (Foto: EFE/Shawn Thew)

Julho
Jornal The New York Times revela que Trump Jr. se encontrou com advogada russa com a promessa de que receberia informações prejudiciais contra Hillary

Mais conteúdo sobre:

espionagemTrumpManafortFlynn