Eleições na França: confira os resultados e os próximos passos da votação
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Eleições na França: confira os resultados e os próximos passos da votação

Centrista Emmanuel Macron e nacionalista Marine Le Pen disputarão o segundo turno no dia 7 de maio

Redação Internacional

24 Abril 2017 | 11h04

O centrista Emmanuel Macron conta com cerca de 24% dos votos para a presidência da França, contra 21% da candidata de extrema direita, Marine Le Pen, segundo o Ministério do Interior do país.

Informações do Ministério do Interior francês indicam vitória de Emmanuel Macron (2º da esq. p/ dir.)

Informações do Ministério do Interior francês indicam vitória de Emmanuel Macron (2.º da esq. p/ dir.)

Veja abaixo quais são os próximos passos da votação, segundo informações do jornal britânico The Guardian.

Durante os próximos dias, Macron e Le Pen farão campanha para tentar conseguir votos para o segundo turno e investimentos de outros candidatos. Na terça-feira, ambos participarão de um evento para homenagear o policial morto em um atentado terrorista em Paris realizado no dia 20. No dia seguinte, os resultados do primeiro turno serão oficialmente anunciados.

3 de maio

Os dois candidatos ao Palácio do Eliseu participarão de um debate ao vivo televisionado.

5 de maio

Último dia de campanha permitido por lei.

7 de maio

Colégios eleitorais abrem às 8h e fecham às 20h. O vencedor do segundo turno deve ser anunciado poucas horas após o encerramento da votação.

11 de junho

São realizadas as eleições parlamentares (em dois domingos consecutivos), as quais terão um impacto significativo sobre o que o novo presidente conseguirá fazer. Em 2012, o socialista e atual presidente, François Hollande, ganhou 280 assentos, pouco menos do que a maioria absoluta dos 577 assentos da Assembleia Nacional.

Futuro

O novo presidente francês terá como foco tratar o tema segurança, com destaque para formas de impedir ataques terroristas no país, que já mataram mais de 230 pessoas nos últimos 18 meses. Apesar de analistas acreditarem que a economia deve registrar melhora – com um aumento do PIB em 2017 -, a taxa de desemprego ainda deve ficar acima de 10%.