As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em vídeos satíricos, europeus respondem a Trump e ‘brigam’ pelo 2º lugar

Vídeo da Holanda reivindicando o 'segundo lugar' após o jargão 'América primeiro' de Trump torna-se viral e campanha ganha adesão até de 'marcianos'

Redação Internacional

07 Fevereiro 2017 | 05h00

Desde que surgiu na campanha presidencial americana e, até depois dela, ao tomar posse no cargo, o republicano Donald Trump tem bradado o lema “American First”, ou a “América em primeiro lugar”. Com ele, Trump promete proteger os EUA “dos estragos dos outros países” que “roubaram” os empregos dos EUA.

A Holanda encontrou uma maneria cômica para dar uma resposta a Trump. Um vídeo produzido por um programa de uma TV holandesa e publicado no Youtube fala o que presidente deveria considerar: a “Holanda em segundo”. No vídeo, um narrador, o comediante Greg Shapiro, personifica Trump, com sua voz e seus jargões “great”, “wonderful” e explica que, “tudo bem a América em primeiro, mas será que daria para a Holanda ser o segundo?”.

Desde então, surgiu uma brincadeira e vários países começaram a copiar a ideia com vídeos na internet em uma espécie de “campanha” pelo segundo lugar. Um deles é o de Portugal: “Esqueçam os holandeses. Eles são mais laranjas do que você!”, provocam:

Veja outras versões (em inglês):

Alemanha: “Nós ganhamos as duas grandes guerras. Qualquer um que disser outra coisa, é ‘fake news’. E ponto final”.

 

Suíça: “Nós nem queremos o seu dinheiro. Nós já o temos. O mantemos seguro e garantimos que nada de mal aconteça a ele.”

Bélgica: “Abba é a banda belga mais famosa da história. Quer dizer, são suecos, mas de acordo com os ‘fatos alternativos’, eles são belgas. Eu juro”.

Países como a Dinamarca, Luxemburgo, e Lituânia também entraram na brincadeira. A campanha já cresceu tanto na internet que ela deixou de falar só de países. Um exemplo é o vídeo de “Marte”: “América primeiro. Marte em segundo”. Nele, marcianos tentam conquistar a atenção de Trump: “Sabe onde não existem mexicanos? Marte. Zero”.