Franceses fazem abaixo-assinado contra ‘genocídio’ de ratos em Paris
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Franceses fazem abaixo-assinado contra ‘genocídio’ de ratos em Paris

Medida, que reuniu mais de 17 mil assinaturas, é um protesto contra a decisão da prefeita de Paris de fechar nove parques onde esses animais proliferaram para um plano de combate

Redação Internacional

15 Dezembro 2016 | 17h32

PARIS – Um abaixo-assinado alcançou nesta quinta-feira, 15, 17,4 mil assinaturas contra o combate aos ratos iniciado há duas semanas em nove parques de Paris, onde estes animais proliferaram até o ponto de obrigar a prefeitura a lançar um plano de ação.

A rat in Square St. Jacques in Paris, Dec. 9, 2016. Paris is facing its worst rat crisis in decades. Nine parks and green spaces have been closed either partly or entirely. Some, like the Champs de Mars, home to the Eiffel Tower, is being “de-ratisized” in sections. (Pierre Terdjman/The New York Times)

Rato é visto na Praça St. Jacques . Foto: Pierre Terdjman/NYT

O abaixo-assinado, que leva o nome “Parem o genocídio dos ratos”, é direcionado à prefeita da capital, Anne Hidalgo, que no dia 7 ordenou o fechamento – durante 15 dias – de nove espaços verdes públicos para poder desenvolver os trabalhos de ‘desratização’.

“A presença de roedores em grande número apresenta problemas sanitários, estéticos e econômicos”, explicou Anne, no comunicado em que anunciou a medida.

Por meio do site MesOpinions.com, Josette Bencherit criou o abaixo assinado para condenar esta erradicação motivada por razões visuais e “por medo”.

No texto, essa antiga psicopedagoga converteu-se em defensora dos direitos dos animais e acusa também um veículo da imprensa francesa de tachar os roedores de “ameaça real” em uma manchete, enquanto no próprio artigo um médico nega que os animais representem algum perigo.

“É preciso parar o massacre. É preciso encontrar outras soluções, como uma política contraceptiva. É preciso ensinar as pessoas a conhecer os ratos para que não tenham medo deles”, declarou a ativista ao jornal Le Parisien.

Josette confessou à publicação francesa que o sucesso do abaixo-assinado foi inesperado e, na realidade, ela pensava que o povo responderia com “um tsunami de hostilidades”.

O fechamento desses parques é a primeira etapa de um plano de ação de um ano de duração concebido pelo prefeitura parisiense em junho, durante um seminário intitulado “Estratégia de gestão dos ratos no meio urbano”. / EFE

Mais conteúdo sobre:

FrançaParisratosFrançaParisratos