Kadafi, Mubarak e Assad estão em ‘Super Trunfo’ de tiranos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kadafi, Mubarak e Assad estão em ‘Super Trunfo’ de tiranos

Redação Internacional

20 Outubro 2015 | 05h00

Lançado pela primeira vez em 2008, o jogo de cartas “Tiranos”, uma versão alemã do popular ‘Super Trunfo’, reúne em suas três edições – a mais recente, de 2013 – os 96 chefes de Estado e governo mais cruéis da história recente.

Nomes como Muamar Kadafi, Hosni Mubarak e Bashar Assad estão entre as cartas que os jogadores podem utilizar. No ‘arsenal’, também estão disponíveis figuras como Adolf Hitler, Mao Tsé-Tung e o brasileiro Getúlio Vargas, entre outros.

'Super Trunfo' dos Tiranos

Algumas das cartas do ‘Super Trunfo’ dos Tiranos (Foto: Divulgação)

Ao contrário da fórmula do Super Trunfo original, em que a cada rodada eram comparados atributos como a potência de um tanque de guerra ou a velocidade de carro esportivo, em Tiranos os jogadores comparam dados desses ditadores, como o ano de nascimento, a idade que tinha quando chegou ao poder, o tempo que governou, quantas pessoas morreram durante seu tempo no poder, e quanta riqueza ele acumulou neste período.

“Se já jogávamos competindo para ver qual arma era a mais poderosa, por que não competir com as pessoas que controlavam esses arsenais?”, disse o alemão Jörg Wagner – que criou o jogo em conjunto com Jürgen Kittel – em entrevista à BBC Brasil, em setembro.

Tiranos faz parte de uma série produzida pela Weltquartett, empresa de Wagner e Kittel, chamada “Misérias do Mundo”. Os outros jogos da série incluem “Epidemias”, “Drogas”, “Vermes e Pestes”, “Centrais Nucleares” e “Desastres Petroleiros”.

Mais conteúdo sobre:

Super TrunfoTiranos