Medidas tomadas pela Venezuela para economizar energia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Medidas tomadas pela Venezuela para economizar energia

A grave seca que atinge o país, associada ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, forçou o governo de Nicolás Maduro a tomar medidas emergenciais para evitar apagões

Redação Internacional

27 Abril 2016 | 10h16

Em razão da grave seca que atinge a Venezuela, onde os principais reservatórios hídricos do país estão em estado crítico, o governo anunciou durante o mês de abril uma série de medidas para tentar conter o gasto energético e evitar apagões.

A situação enfrentada pelo governo de Nicolás Maduro é tão crítica que o reservatório de Guri, em Caracas, responsável pelo fornecimento de 70% da energia consumida do país, está apenas 1,5 metro acima do nível mínimo de operação e especialistas dizem que no atual ritmo de consumo o reservatório tem pedido cerca de 10 cm por dia.

Estabelecimentos comerciais na Venezuela reduziram horários de funcionamento em razão da falta de energia

Estabelecimentos comerciais na Venezuela reduziram horários de funcionamento em razão da falta de energia

Saiba quais são as principais mudanças anunciadas por Maduro:

– Sexta-feira como dia de folga
No começo de abril, o presidente Nicolás Maduro estabeleceu, por meio de decreto que todas as sextas-feiras seriam “dias não laborais” durante os meses de abril e maio para o setor público. Maduro não detalhou, porém, se a medida é obrigatória também para o setor privado. Além disso, a carga horária de trabalho em ministérios e empresas públicas foi reduzida durante a semana para 6 horas. A jornada também foi suspensa neste dia nos centros educativos dos níveis inicial, médio e básico.

– Suspensão do trabalho nas quartas e quintas-feiras
Desde a quarta-feira, 27, os funcionários dos poderes Judicial, Eleitoral e Cidadão do país também foram dispensados de trabalhar às quartas e quintas-feiras, “com exceção das tarefas fundamentais e necessárias”, segundo o anúncio oficial.

– Racionamento
Em razão do baixo nível do reservatório Guri, que fornece 70% da energia do país, o governo decretou o racionamento de energia em praticamente metade da Venezuela. Foram afetados os Estados de Zulia, Carabobo, Aragua, Lara, Bolívar, Miranda, Barinas, Monagas e Falcon. Além disso, a Venezuela também passou a exigir dos grandes consumidores, como shoppings e hotéis, que gerem sua própria energia.

– Mudança de fuso horário
A partir de 1º de maio os relógios no país serão adiantados em 30 minutos, voltando para o fuso horário de quatro horas a menos em relação ao meridiano de Greenwich (-4 HORAS GMT) para tirar proveito da luz do dia. Desde 2007 a Venezuela estava no fuso de quatro horas e meia (-4h30H GMT), medida tomada pelo então presidente Hugo Chávez para “aumentar a sensação de descanso e provocar maior rendimento laboral e estudantil”.