Trump usa neta como arma diplomática na China
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Trump usa neta como arma diplomática na China

Em mensagem exibida pelo presidente americano ao colega Xi Jinping, Arabella Kushner, de 6 anos, mostra mais uma vez suas habilidades com o idioma chinês; internautas do país asiático também elogiam performance

Redação Internacional

09 Novembro 2017 | 12h24

PEQUIM – O encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jinping, nesta quinta-feira foi dedicado ao comércio e à Coreia do Norte, mas a grande estrela da mídia foi a neta do presidente americano, Arabella Kushner, que conquistou o coração dos internautas.

+ Na China, Trump vai à ópera na Cidade Proibida


Em um vídeo exibido por Trump ao anfitrião durante um passeio pela histórica Cidade Proibida na quarta-feira, Arabella cumprimenta “vovô Xi e vovó Peng (Liyuan)” com canções em mandarim e declamação de poesia chinesa antiga.

Vídeo da neta de Trump, Arabella, cantando e recitando poemas em mandarim é exibido em jantar oferecido pelo presidente chinês, Xi Jinping (AP Photo/Andrew Harnik)

Vídeo da neta de Trump, Arabella, cantando e recitando poemas em mandarim é exibido em jantar oferecido pelo presidente chinês, Xi Jinping (AP Photo/Andrew Harnik)

De acordo com a agência estatal de notícias Xinhua, que divulgou o vídeo nas mídias sociais, Xi disse que o mandarim da menina de 6 anos “merecia uma nota A+”. E os chineses concordaram, garantiu a porta-voz do Ministério chinês das Relações Exteriores, Hua Chunying. “Como uma pequena embaixadora da amizade sino-americana, Arabella já recebeu o amor de um amplo número de chineses”, afirmou Hua. “Acreditamos que isso ajudou a aproximar a afeição e a distância entre o povo americano e o chinês”, completou.

Arabella também desempenhou um papel de destaque no jantar de Estado organizado por Xi em homenagem a Trump no Grande Salão do Povo na noite de quarta-feira.

Levado como um presente de Trump para Xi, o vídeo em versão integral foi apresentado nos telões do salão. Arabella foi até mencionada pelo avô, em seu brinde oficial. “Nossas crianças com frequência nos lembram de nossa humanidade compartilhada e verdadeira dignidade”, afirmou Trump.

O Sina Weibo – espécie de Twitter chinês – logo foi tomado de elogios à apresentação de Arabella, embora não seja possível afirmar quantos comentários referentes à visita do presidente americano foram censurados ou produzidos por membros do governo. “Essa garotinha tem tanta energia. Espero que ela possa contribuir para a relação entre China e EUA no futuro”, escreveu um internauta no site. “Ela é muito fofa. Espero que venha para a China e ajude a construir pontes entre nossos dois países”, completou outra pessoa.

De acordo com o jornal China Daily, controlado pelo Partido Comunista da China, as músicas cantadas por Arabella são “Nossos campos, belos campos” e “Minha boa mãe”. “A primeira, escrita em 1953 e adorada pelos adolescentes chineses por décadas, expressa o amor de uma pessoa pela natureza e por sua pátria. A segunda é uma popular rima infantil difundida em toda a China”, diz o diário.

Sobre os trechos da literatura também citados pela menina, o China Daily diz se tratarem de “Clássico de três caracteres” (em tradução livre), livro confucionista usado na educação de crianças, e dois poemas antigos de Li Bai: “Observando a queda de Montanha Lushan” (em tradução livre) e “Partido da cidade do Rei Branco pela Manha” (em tradução livre).

Essa não é a primeira vez que Arabella impressiona o presidente e os internautas chineses com suas habilidades em mandarim. Em abril, durante a visita de Xi e sua mulher, Peng Liyuan, aos EUA, a menina cantou uma canção em mandariam para eles.

Na época, Ivanka Trump publicou um vídeo da apresentação em sua conta no Twitter dizendo ter ficado “muito orgulhosa pela performance de Arabella e Joseph em homenagem a Xi Jinping e à madame Peng Liyuan”.

De acordo com o jornal The New York Times, Arabela uma das figuras amadas pela cultura pop chinesa pelo menos desde fevereiro, quando uma emissora estatal do país exibiu um vídeo da menina, então com 5 anos, e de sua mãe participando de um evento em comemoração ao ano-novo na embaixada chinesa em Washington.

Naquela mesma semana, Ivanka publicou um vídeo com sua filha cantando “Feliz Ano-Novo” em mandarim. A mensagem foi aprovada e compartilhada dezenas de milhares de vezes no Weibo.

Em abril, depois da viagem de Xi aos EUA, o Global Times – outro jornal ligado ao Partido Comunista da China – afirmou que o fato de a neta do presidente americano ter aulas de mandarim mostrava que “a família Trump reconhece os feitos atuais e o potencial da China”. Arabella tem aulas de mandarim desde os 3 anos.

“Trump está tentando fazer com que sua família se torne a nova e poderosa família política dos EUA, como os Clinton, os Bushes e os Roosevelts”, disse ao jornal An Gang, especialista do centro de estudos Pangoal Institution.

“Trump e a diplomacia da neta usada por membros de sua família conquistaram aplausos do povo chinês já que a filha dele, seu genro e sua neta são populares na China”, afirmou Diao Daming, do Instituto de Estudos Americanos da Academia Chinesa de Ciências Sociais.  / REUTERS, AFP e AP

Mais conteúdo sobre:

Donald TrumpChinaXi JinpingArabella