Os monumentos confederados removidos e derrubados nos EUA
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os monumentos confederados removidos e derrubados nos EUA

Muito políticos têm se mobilizado para pedir a remoção de algumas estátuas instaladas em diversos pontos do país; veja como está a situação de algumas delas

Redação Internacional

22 Agosto 2017 | 13h03

Uma marcha de supremacistas brancos, que acabou em confrontos violentos registrados na cidade de Charlottesville no dia 12 de agosto, voltou as atenções para os diversos monumentos confederados instalados em diversas partes do país. Muitos políticos têm feito pedidos para que sejam removidos esses marcadores e estátuas que homenageiam personagens polêmicos da Guerra Civil americana.

Há centenas desses monumentos espalhados pelos EUA. Veja abaixo alguns deles.

A estátua de Roger Taney foi removida na madrugada no dia 18 agosto (Foto: Handout via REUTERS)

A estátua de Roger Taney foi removida na madrugada no dia 18 agosto (Foto: Handout via REUTERS)

Annapolis, Maryland


A estátua de Roger Taney foi removida na madrugada no dia 18 agosto. O governador republicano Larry Hogan realizou o pedido de remoção poucos dias antes, contrariando a ideia anterior de que remover símbolos como este seria como uma correção política. Apesar de não ser um oficial confederado, Taney foi o autor principal da decisão de Dred Scott de 1857, que estabeleceu que afro-americanos, tanto escravos quanto homens livres, não poderiam ser cidadãos americanos.

As estátuas de dois generais confederados, Robert E. Lee e Albert Sidney Johnston, foram retiradas no dia 21 de agosto (Foto: Jason Lappa/The New York Times)

As estátuas de dois generais confederados, Robert E. Lee e Albert Sidney Johnston, foram retiradas no dia 21 de agosto (Foto: Jason Lappa/The New York Times)

Austin, Texas

As estátuas de dois generais confederados, Robert E. Lee e Albert Sidney Johnston, e o membro do gabinete John Reagan foram retiradas no dia 21 de agosto.

Baltimore, Maryland

A prefeita de Baltimore, Catherine Pugh, ordenou a remoção de quatro estátuas da era da Confederação, e justificou a decisão dizendo que se tratava de uma medida a favor da segurança da população após os episódios de violência em Charlottesville. Elas foram retiradas na madrugada do dia 16 de agosto.

Uma placa em homenagem a Robert E. Lee instalada em um tronco por volta de 1840 foi removida no dia 16 de agosto (Foto: Sam Hodgson/The New York Times)

Uma placa em homenagem a Robert E. Lee instalada em um tronco por volta de 1840 foi removida no dia 16 de agosto (Foto: Sam Hodgson/The New York Times)

Brooklyn, Nova York

Uma placa em homenagem a Robert E. Lee instalada em um tronco por volta de 1840 foi removida no dia 16 de agosto. A árvore está localizada próxima a uma igreja episcopal, e os funcionários da diocese disseram que receberam múltiplas ameaças depois que o objeto foi retirado. Outra placa próxima também foi removida.

Gainesville, Flórida

Uma comunidade religiosa das Filhas Unidas da Confederação pagou no dia 14 de agosto pela remoção de um monumento de soldados confederados que ficou em exibição em frente ao prédio administrativo da cidade de Alachua, no centro de Gainesville, por 113 anos. A estátua, conhecida como “Old Joe”, foi transferida para um cemitério localizado fora da cidade, segundo a imprensa local.

New Orleans, Louisiana

A cidade removeu quatro monumentos dedicados aos confederados no mês de abril.

A estátua de um soldado confederado em frente ao Tribunal de Justiça de Durham foi derrubada por manifestantes no dia 14 de agosto (Foto: Virginia Bridges/The Herald-Sun via AP)

A estátua de um soldado confederado em frente ao Tribunal de Justiça de Durham foi derrubada por manifestantes no dia 14 de agosto (Foto: Virginia Bridges/The Herald-Sun via AP)

Durham, Carolina do Norte

Neste caso, a estátua de um soldado confederado em frente ao Tribunal de Justiça da cidade foi derrubada por manifestantes, e não após pedidos de governantes, no dia 14 de agosto. A peça, que estava no local desde 1924, era protegida por uma lei especial.

Veja como está a situação de outros monumentos confederados:

Boston, Massachusetts

Um monumento foi coberto até o Estado decidir o que fazer com ele.

Charlottesville, Virgínia

No dia 12 de agosto, 34 pessoas ficaram feridas e uma morreu durante um protesto contra a remoção da estátua de Robert E. Lee, que acabou não sendo retirada do lugar.

Jacksonville, Flórida

A presidente do conselho da cidade, Anna Lopez Brosche, pediu que todos os monumentos confederados fossem transferidos para um museu.

Lexington, Kentucky

No dia 17 de agosto, o conselho da cidade aprovou uma proposta para remover duas estátuas confederadas do tribunal histórico da cidade. O prefeito, Jim Gray, tem alguns dias para propor um novo local para elas.

Memphis, Tennessee

A cidade está tentando remover uma estátua de Nathan Bedford Forrest, um general confederado, de um parque da cidade, mas precisa da aprovação de uma agência estatal.

Richmond, Virgínia

O prefeito Levar M. Stoney enviou em meados de agosto uma comissão previamente formada para avaliar a remoção de todos ou alguns símbolos confederados da cidade.

San Antonio, Texas

Antes mesmo dos confrontos em Charlottesville, alguns conselheiros municipais já pressionavam pela remoção do monumento de um soldado confederado em Travis Park.

Tampa, Flórida

Um monumento confederado em Tampa será removido somente se uma certa quantidade de dinheiro for arrecadada, decidiram as autoridades locais no dia 16 agosto. Pouco depois, três grandes times esportivos da cidade disseram que ajudarão no projeto.

Washington, D.C.

O senador Cory Booker de New Jersey tuitou no dia 16 de agosto que planejava instaurar um projeto de lei para remover estátuas confederadas do prédio do Capitólio. No dia 17 de agosto, Nancy Pelosi – líder democrata da Câmara dos Deputados – pediu a remoção dos monumentos. Ainda há ao menos 12 símbolos confederados no Capitólio. / NYT