Para lembrar: queda do voo MH17 da Malaysia Airlines
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para lembrar: queda do voo MH17 da Malaysia Airlines

No dia 17 de julho de 2014, o Boeing 777 da Malaysia Airlines que ia de Amsterdã a Kuala Lumpur caiu na Ucrânia, matando as 298 pessoas a bordo

Redação Internacional

13 Outubro 2015 | 10h51

Um Boeing 777 da Malaysia Airlines que ia de Amsterdã a Kuala Lumpur caiu no dia 17 de julho de 2014 na Ucrânia, matando todas as 298 pessoas a bordo.

O avião estava a 10 mil metros de altitude e cruzava uma região conflagrada pelo choque entre o Exército ucraniano e milícias separatistas entre as cidades de Donetsk e Luhansk, próximo à fronteira com a Rússia. A queda ocorreu 24 horas depois de Kiev acusar separatistas de ter abatido três aviões militares, todos no leste ucraniano.

queda_aviao_ucrania

 

Após a queda, companhias aéreas como Air France, British Airways, Lufthansa e a russa Aeroflot, informaram que não sobrevoariam mais o território do leste da Ucrânia.

Atingido aparentemene por um míssil terra-ar, o Boeing se partiu em três grandes pedaços e caiu sobre uma região rural, espalhando fragmentos humanos e pertences pessoais por uma área de dezenas de quilômetros quadrados.

Nos dias que se seguiram, milicianos separatistas, boa parte deles com balaclavas cobrindo os rostos, vestindo roupas militares e portando armamento de guerra, cercaram o local e impediram, em um primeiro momento, o acesso dos inspetores internacionais que colheriam evidências sobre as causas da queda.

 

O acesso foi mais tarde liberado de forma parcial e sobre uma cena de crime adulterada, o que tornou a investigação muito mais difícil.

Há três meses, o Conselho de Investigação sobre Segurança enviou aos países que participam da apuração sobre a tragédia um relatório parcial sobre as causas do acidente. Entre as evidências coletadas estariam caixas-pretas, fragmentos do avião perfurados pelo explosivo e até fragmentos do míssil encontrados nos corpos das vítimas.

Leia mais:

Holandeses e russos apresentam hoje versões para queda de Boeing da Malaysia

Holanda avalia se míssil russo pode ter atingido avião malaio na Ucrânia

Um ano depois, queda do voo MH17 da Malaysia Airlines segue sem explicação