As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Parlamentar britânico pede demissão após se atrasar dois minutos para sessão

Michael Bates alegou ‘falta de cortesia’ por não estar em seu lugar na hora; premiê Theresa May afirmou que pedido será negado

Redação Internacional

01 Fevereiro 2018 | 12h25

LONDRES – Para qualquer um que já chegou atrasado ao trabalho, um pedido de desculpas normalmente é o suficiente. Mas para um certo parlamentar britânico, já era muito tarde para se desculpar.

+ Governo de May tenta minimizar efeitos de relatório sobre Brexit

Levou menos de 60 segundos para Michael Bates chegar atrasado, pedir desculpas, oferecer sua renúncia e deixar a Câmara dos Lordes na quarta-feira 31.


+ Retórica dura da UE sobre Brexit ameaça futuro político de May

“Quero oferecer minhas sinceras desculpas à (líder da sessão) Ruth Lister por minha falta de cortesia ao não estar no meu lugar para responder às perguntas dela sobre um assunto muito importante no início da sessão”, disse o ministro de desenvolvimento internacional diante de seus colegas.

“Durante cinco anos nos quais tive o privilégio de responder aos questionamentos em nome do governo, sempre acreditei que deveríamos nos elevar aos padrões mais altos possíveis de educação e respeito”, continuou ele.

Apesar de estar apenas alguns minutos atrasado, Bates seguiu dizendo que estava “completamente envergonhado por não estar no meu lugar e, portanto, devo anunciar minha renúncia ao primeiro-ministro. Com efeito imediato”.

“Eu peço desculpas”, afirmou ele enquanto juntava seus pertences e deixava o local rapidamente.

Mas transformar um pedido de desculpas em renúncia em questão de segundos deixou os colegas de Bates atordoados. Em um vídeo, é possível ouvir alguns políticos exclamando “Não!” de seus lugares. Enquanto alguns riam sem acreditar no que estava acontecendo, outros correram para tentar alcançar o parlamentar e trazê-lo de volta à Câmara.

Após a renúncia, um dos presentes interrompeu o início de outro discurso para dizer: “Um pedido de desculpas do parlamentar Bates é perfeitamente suficiente. Foi uma pequena falta de cortesia pela qual qualquer um de nós pode ser culpado”.

À imprensa local, Ruth disse que pediu para Bates reconsiderar sua decisão. “De todos os ministros que eu gostaria que renunciassem, ele é o último.”

Horas após a inesperada renúncia, um porta-voz da primeira-ministra britânica, Theresa May – que está em uma viagem à China – disse: “Com sinceridade, parlamentar Bates apresentou sua renúncia hoje, mas ela foi recusada e julgada desnecessária”.

A premiê ainda ressaltou que, “como um ministro que trabalha duro, é típico dele assumir suas responsabilidades com o Parlamento tão a sério”. / THE WASHINGTON POST

Mais conteúdo sobre:

Reino UnidoTheresa Mayrenúncia