Branden Camp/AP Photo
Branden Camp/AP Photo

Apagão cancela mais de mil voos no aeroporto internacional de Atlanta

Incêndio em instalação elétrica pode ter sido causa de falta de energia que durou cerca de dez horas

O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2017 | 02h58

ATLANTA - Um apagão paralisou o aeroporto mais movimentado do mundo, o Hartsfield-Jackson, em Atlanta, nos Estados Unidos, neste domingo, 17. A falta de energia causou o cancelamento de mais de mil voos, a poucos dias do início da temporada de viagens de Natal. O apagão teve início por volta das 13h (horário local, 16h em Brasília), mas a energia só foi restaurada às 00h10 (3h10 de segunda-feira no Brasil).

De acordo com uma declaração da companhia de energia elétrica do estado da Geórgia, um incêndio em uma instalação elétrica subterrânea pode ter causado o apagão. A causa do incêndio não é conhecida. O comunicado afirma ainda que nenhum passageiro ou funcionário estava em perigo. A paralisação interrompeu todos os voos que tinham o aeroporto como destino e partida. Os voos internacionais estavam sendo desviados, segundo autoridades.

Os passageiros da Delta, companhia com a maior operação em Atlanta, foram os principais atingidos pelo apagão. À tarde, a companhia já havia cancelado quase 900 voos de domingo e outros 250 marcados para esta segunda-feira. Já durante a noite, a empresa comunicou pelo Twitter que aproximadamente 300 voos seriam cancelados devido à queda de energia.

Já a American Airlines cancelou 24 voos com partidas de Atlanta e outros 24 que tinham o aeroporto como destino, disse o porta-voz Ross Feinstein. A companhia aérea desviou três voos que estavam indo para Atlanta quando a interrupção ocorreu, enviando-os para Dallas, Nashville e de volta para a Filadélfia.

Roberto Mann, um consultor de aviação e ex-executivo da American Airlines, disse que provavelmente vai ser preciso esperar até terça-feira para que as operações da Delta em Atlanta voltem ao normal, enquanto os passageiros podem ter que esperar quase toda a semana, considerando que não há muitos lugares disponíveis em outros voos na semana que antecede o Natal.

A boa notícia, segundo ele, é que a Delta tem mais aviões e tripulações disponíveis em Atlanta do que em qualquer outro lugar, o que ajuda a retomar os serviços mais rapidamente./AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.