Discussão sobre iuan surgirá em viagem à China, diz Obama

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse nesta segunda-feira que planeja discutir o tema da moeda chinesa, o iuan, com funcionários daquele país durante sua viagem a Pequim na próxima semana.

REUTERS

09 Novembro 2009 | 22h14

"A moeda, junto a uma série de outros temas, surgirá, e me sinto confiante de que os Estados Unidos e a China poderão chegar a um amplo conjunto de políticas que encoraje o comércio, beneficie ambos os países e permita um crescimento econômico constante", disse Obama em entrevista à Reuters.

Os fabricantes norte-americanos se queixam de que a China mantém artificialmente baixo o valor do iuan para tornar as exportações mais baratas e encarecer os produtos norte-americanos aos consumidores chineses.

Até agora, Obama resistiu à pressão interna para qualificar a China como um país manipulador da moeda, o que poderia irritar um credor crucial para os Estados Unidos. Em vez disso, Obama afirmou que os dois países compartilham um interesse comum em apresentar um crescimento sustentável que ajudará a reequilibrar a economia global.

"Eles têm uma quantidade imensa de dólares que estão segurando, então, nosso sucesso é importante para eles. A outra face da moeda é que se não resolvermos alguns desses problemas, acredito que tanto política como economicamente haverá pressões enormes sobre a relação", acrescentou.

Mas Obama reconheceu que as queixas sobre o acesso ao mercado chinês têm algum fundamento.

"Nossos fabricantes, acho, teriam preocupações legítimas sobre nossa capacidade de vender dentro da China", disse o presidente, acrescentando que aumentar as vendas norte-americanas no exterior era uma parte vital de sua agenda econômica.

(Reportagem de Caren Bohan e Alister Bull)

Mais conteúdo sobre:
EUA CHINA OBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.