Em novos e-mails vazados, Hillary Clinton mostra boa relação com setor financeiro

Novo lote de arquivos vazados pelo site Wikileaks exibe discursos da candidata a instituições de Wall Street

Associated Press

16 Outubro 2016 | 16h43

WASHINGTON - Transcrições de e-mails envolvendo a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, liberadas no sábado, 15, pelo Wikileaks, mostram que a ex-secretária de Estado evitou, em discursos feitos no banco Goldman Sachs, fazer críticas diretas a Wall Street.

As transcrições, que são parte de e-mails do chefe da campanha da candidata, não contêm nada que mostre que a Hillary é indevidamente influenciada por contribuições do setor financeiro, como havia sugerido seu rival nas prévias do Partido Democrata, senador Bernie Sanders. No entanto, mostra uma abordagem mais suave em seus discursos, que são uma sinalização aos eleitores de que a candidata é próxima demais de Wall Street para adotar um controle eficaz sobre os excessos do mercado financeiro.

As transcrições de conversas de outubro de 2013 mostram que Clinton disse aos banqueiros que ela tinha "grande relações" e trabalhou estreitamente com Wall Street quando era senadora de Nova York. Disse também que "o júri ainda está fora", sobre se as reformas financeiras de Dodd-Frank aplicadas após a crise financeira tinham sido a abordagem certa. Ela disse que mais abertura desde o início poderia ter evitado o tumulto em Wall Street ao longo das mudanças.

"O que aconteceu, como aconteceu, como podemos impedir que isso aconteça? Vocês nos ajudem a descobrir isso, e vamos nos certificar de que vamos fazer o certo desta vez", disse ela.

Trabalhando para aproximar seu discurso de seu público, Clinton comparou sua experiência como secretária de Estado com o mundo dos negócios e finanças, dizendo que "é como o balanço de qualquer pessoa", com oportunidades e potenciais passivos. Em um comentário, uma participante da conferência do Texas disse a Clinton que ela tinha "a honra de levantar dinheiro " para ela durante as prévias do Partido Democrata em 2008, que Clinton perdeu para Barack Obama. Clinton respondeu: "vocês são as pessoas mais inteligentes."

Na primária democrata deste ano, Sanders apelou repetidamente para as transcrições de discursos de Clinton para Wall Street para criticar a candidata. Em uma reviravolta irônica, as transcrições se tornaram públicas porque seus assessores de campanha haviam distribuído o conteúdo entre si para que se preparassem para quaisquer ataques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.