Furacão Ida segue rumo aos EUA após matar 124 em El Salvador

Enfraquecida, tormenta deve atingir região entre a Flórida e a Louisiana na manhã da terça-feira

Reuters,

09 Novembro 2009 | 11h26

                                                                                                                                 Foto: Reuters 

 

O furacão Ida foi rebaixado à categoria 1 nesta segunda-feira, 9, quando se dirige para instalações de gás e petróleo na parte central do Golfo do México, depois de matar 124 pessoas em El Salvador, onde causou inundações e deslizamentos.

 

Os ventos regulares do furacão diminuíram para 145 quilômetros por hora, e devem perder ainda mais força nas próximas 24 horas, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês). O Ida, entretanto, ainda deve ser chegar à costa americana do Golfo do México com o status de furacão, o que deve acontecer na noite desta segunda ou na manhã de terça.

 

                                                                                                                                        Foto: Efe

 

O Ida deve chegar à costa dos EUA em algum lugar entre a Louisiana e a Flórida. Há um alerta sobre furacões em vigor no trecho entre Pascagoula (Mississippi) e Indian Pass (Flórida). A Louisiana declarou estado de emergência no domingo, o que permite ao governo local mobilizar tropas e equipes de resgate.

 

Por causa do furacão, as empresas americanas de petróleo estão paralisando a produção e retirando funcionários da região. O petróleo subiu mais de US$ 1 na segunda-feira, sendo cotado a mais de US$ 78 por barril. O terminal petrolífero da Louisiana, único nos EUA preparado para receber os maiores navios-tanque, parou os embarques devido ao mar agitado.

 

A costa do Golfo do México representa 25% da produção americana de petróleo, 15% da produção de gás, e 40% da capacidade de refino do país.

 

Em El Salvador, as chuvas causadas pelo Ida causaram transbordamentos de rios e deslizamento de encostas. Áreas montanhosas ficaram isoladas, e casas mais rústicas foram arrastadas pelas águas. Segundo informações do governo, 124 pessoas morreram.

 

                                                                                                                                  Foto: Reuters

 

A maior parte da produção cafeeira de El Salvador fica numa área que não foi atingida, e a associação nacional dos cafeicultores disse não ter estimativas sobre possíveis prejuízos.

 

Às 7 horas (no horário de verão de Brasília), o olho do furacão estava cerca de 460 quilômetros a sul-sudeste da foz do rio Mississippi, e 605 quilômetros ao sul de Pensacola, na Flórida. Ao longo do dia, ele deve fazer uma curva para norte e acelerar sua aproximação da costa do Golfo, mas na terça-feira deve se desviar novamente a nordeste.

Mais conteúdo sobre:
Ida furacão tormenta clima El Salvador EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.