Grupo taleban paquistanês reivindica ataque na Times Square

No sábado, polícia de NY encontrou um explosivo no porta-malas de um carro e fechou avenida

Agência Estado e Dow Jones

02 Maio 2010 | 15h02

Times Square volta à normalidade neste domingo. Foto: Chip East/Reuters

WASHINGTON - Um vídeo divulgado na Internet supostamente pelo grupo taleban paquistanês Tarik-e-Taleban reivindicou a responsabilidade pelo carro-bomba encontrado na noite de sábado na Times Square, em Nova York, de acordo com o serviço norte-americano de monitoramento de websites - SITE.

 

Veja também:

mais imagens  Confira galeria de fotos do atentado frustrado 

 

A polícia de NY encontrou um explosivo "amador", mas potencialmente poderoso, no porta-malas do veículo, uma Pathfinder da Nissan, estacionado uma das regiões mais movimentadas da cidade. Milhares de turistas foram retirados do local por 10 horas, enquanto a bomba era desmontada.

 

Os investigadores removeram três tanques de propano, fogos de artifício, dois galões de gasolina, dois relógios com bateria, cabos de eletricidade e outros componentes do porta-malas do veículo, segundo o policial Raymond Kelly.

 

O governador de Nova York, David Paterson, classificou o incidente como um "ato de terrorismo". "Por sorte, não houve feridos e agora a atenção das forças policiais está focada em levar à Justiça os que cometeram esse ato de terrorismo", disse Paterson.

 

O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, concedeu uma entrevista coletiva no local do incidente, na madrugada deste domingo, 2, e disse que "tivemos muita sorte por ter evitado o que poderia ter sido uma explosão muito mortífera", ao confirmar que o carro continha mesmo "um artefato explosivo".

Bloomberg estava ao lado do chefe de polícia Raymond Kelly, e disse que ainda "não temos nem ideia de quem fez isso nem o motivo."

 

O veículo Nissan Pathfinder estava estacionado em uma praça de Manhattan, por volta das 20h (22h de Brasília). A polícia interditou por mais de oito horas a região entre a 7.ª e 8.ª Avenidas e as ruas 43 e 46.

 

As ruas foram liberadas na manhã deste domingo, 2. No coração da cidade, a Times Square estava lotada de gente, especialmente turistas, pois concentra os teatros da Broadway, que tiveram sessões atrasadas canceladas.

 

A polícia foi alertada por um vendedor ambulante, veterano da Guerra do Vietnã, que contou ter visto fumaça saindo de dentro do carro. O chefe de polícia de NY disse que o veículo continha três tanques de propano, fogos de artifício, dois galões de 19 litros cada com gasolina, e dois relógios com baterias, fios elétricos e outros componentes.

Mais conteúdo sobre:
Nova York atentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.