AP
AP

Obama comete gafe sobre deficientes em talk show de humor

Presidente diz que pratica boliche como nas Paraolimpíadas e que Washington é quase como o 'American Idol'

Agências internacionais,

20 Março 2009 | 09h53

 Boliche realmente não é o esporte do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Durante sua participação no "The Tonight Show", na quinta-feira, 19, o presidente disse ao apresentador Jay Leno que tem praticado na pista de boliche da Casa Branca, mas não estava satisfeito com sua pontuação de 129. Em seguida, saiu-se com essa: "Parecia os Jogos Paraolímpicos ou algo assim". A plateia riu, mas a Casa Branca logo notou o escorregão.

 

Em plena campanha para promover sua estratégia de combate à crise econômica e aprovar seu primeiro orçamento, Obama tornou-se o primeiro presidente americano no exercício do cargo a comparecer a um talk show humorístico. Obama falou ainda que o Air Force One não causou grande impressão causou em suas filhas. "Eu pessoalmente acho muito legal, principalmente porque eles te dão uma jaqueta, com um distintivo", disse Obama.

 

Quando voltava para Washington no Air Force One, Obama telefonou para o presidente dos Jogos Paraolímpicos, Tim Shriver, para se desculpar. A ligação ocorreu mesmo antes de o programa gravado ir ao ar, na noite de quinta-feira. "Ele demonstrou seu desapontamento e se desculpou de um modo muito tocante. Ele afirmou que não queria humilhar essa parcela da população", relatou Shriver à emissora ABC. Obama, segundo Shriver, quer que alguns atletas paraolímpicos visitem a Casa Branca para jogar boliche ou basquete.

 

 

Ainda assim, Shriver lembrou: "Eu acho que é importante se perceber que as palavras machucam e elas realmente importam. E essas palavras em algum aspecto podem ser vistas como humilhantes ou um desestímulo às pessoas com necessidades especiais, que realmente causam dor e de fato resultam em estereótipos."

 

Um porta-voz da Casa Branca, Bill Burton, disse aos repórteres viajando no avião com Obama que o comentário não tinha como objetivo menosprezar os Jogos Paraolímpicos. A intenção seria apenas fazer uma piada sobre a falta de habilidade do comandante-em-chefe no boliche. "Ele acredita que os Jogos Paraolímpicos são um evento extraordinário, que dá uma oportunidade para brilhar às pessoas com necessidades especiais de todo o mundo", afirmou Burton.

 

Shriver é filho da fundadora dos Jogos Paraolímpicos, Eunice Kennedy Shriver, e sobrinho do senador Edward Kennedy. O apoio desse senador foi crucial no início das primárias partidárias para que Obama conseguisse ser o indicado dos democratas, superando Hillary Clinton.

 

'American Idol'

 

Obama foi questionado por Leno sobre como está lidando com a atenção que o início de seu mandato vem atraindo. "Eu saúdo o desafio", respondeu o presidente. "Candidatei-me a presidente porque achava que precisávamos de grandes mudanças", declarou. "Acho que Washington é um pouco como o 'American Idol', mas ninguém é Simon Cowell", disse Obama, referindo-se ao popular programa de competição musical e seu severo e sarcástico juiz. Ele afirmou, porém, acreditar que o povo americano "compreende que, se foi preciso um tempo para entrar nessa confusão, vai demorar um pouco para sairmos dela."

 

O presidente disse ainda que está "atordoado" com os bônus pagos pela American International Group (AIG) a seus executivos, e que apoiou uma mudança da política tributária. "A questão é, quem, em sã consciência, quando sua companhia está indo à falência, decide que vamos pagar toda uma penca de bônus para as pessoas?", indagou o presidente. "Isso, eu acho, diz respeito a uma cultura mais ampla que existiu em Wall Street, onde eu acho que as pessoas tinham essa postura de gratificação"

O presidente americano disse também que gostaria de ver uma mudança na legislação tributária que a fizesse recuar aos anos 1990 "quando você e eu pagávamos um pouco mais por uma assistência médica, por energia e para se certificar de que filhos não tão afortunados como os meus possam ir para a faculdade".

Mais conteúdo sobre:
Barack Obama EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.