Obama pede calma nas conclusões sobre Fort Hood

Psiquiatra militar muçulmano abriu fogo contra colegas em base no Texas após gritar 'Deus é grande!'

Reuters,

06 Novembro 2009 | 14h54

O presidente dos EUA, Barack Obama, pediu aos americanos nesta sexta-feira, 6, que não tirem conclusões sobre o episódio na base de Fort Hood, no Texas, antes das investigações. Nesta sexta, o major Nidal Malik Hasan, psiquiatra militar muçulmano, abriu fogo dentro da base militar americana matando 13 pessoas e ferindo outras 30.

 

Veja também:

link Atirador de base dos EUA está vivo; mortos chegam a 13

link Muçulmano, major que abriu fogo temia envio à guerra

lista Base envia forças para Iraque e Afeganistão

video Vídeo: Câmera de segurança mostra atirador no dia do ataque (YouTube)

 

"Não sabemos todas as respostas ainda e eu gostaria de cautela antes de tirarmos quaisquer conclusões até soubermos todos os fatos", alertou o presidente.

 

Ainda sobre o caso em Fort Hood, Obama disse ter entrado em contato com Robert Mueller, diretor do FBI, para conversar sobre as investigações.

 

Hassan abriu fogo na noite da quinta-feira após gritar "Deus é grande!" em árabe. O muçulmano, ferido e em observação sob custódia das autoridades, alegava que não queria ser enviado para a guerra, como disse ter sido informado.

Mais conteúdo sobre:
Obama militar Fort Hood

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.