1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Obama vai proibir espionagem a dezenas de líderes estrangeiros aliados

Reuters

17 Janeiro 2014 | 14h 43

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta sexta-feira a proibição de espionagem de dezenas de líderes estrangeiros considerados amigos próximos e aliados de Washington pelo governo dos Estados Unidos, disseram autoridades do governo nesta sexta-feira.

As autoridades, que falaram pouco antes de Obama revelar as reformas nas práticas de vigilância dos EUA, também disseram que os provedores de comunicação terão a permissão de compartilhar mais informações com o público sobre solicitações de dados pelo governo.

Líderes estrangeiros e cidadãos norte-americanos ficaram ultrajados pelas revelações do ex-prestador de serviço de uma agência espiã Edward Snowden, que mostraram que Washington estava ouvindo telefonemas privados de líderes, como a chanceler alemã, Angela Merkel, e a presidente Dilma Rousseff, e colhendo dados de telefonia móvel e emails de cidadãos comuns.

Entre as reformas, Obama vai pedir ao Congresso que estabeleça uma comissão externa de defensores da privacidade para a corte responsável por monitorar atividades de inteligência, disseram as autoridades.

(Reportagem de Jeff Mason)