Republicanos bloqueiam votação de reforma financeira no Senado dos EUA

Legislação não foi enviada para aprovação da casa por apenas três votos de democratas

Associated Press,

19 Maio 2010 | 23h26

WASHINGTON- Senadores republicanos adiaram nesta quarta-feira, 19, o passo final para a reforma financeira ser submetida à aprovação da casa, impondo um obstáculo de última hora para a nova legislação.

 

No entanto, democratas pareciam próximos de alcançar os 60 votos necessários no Senado de 100 membros para aprovar a medida, e o líder da Maioria no Senado, Harry Reid, disse que iria tentar conseguir uma outra votação na quinta.

 

A legislação, que busca uma reforma em regulações financeiras não feitas desde 1930, iria estabelecer mecanismos para vigiar o sistema financeiro, facilitar a liquidação de grandes empresas falidas e impor novas regras para seguradoras culpadas por desencadearem a crise econômica de 2008.

 

A proposta também criaria uma nova agência de proteção ao consumidor, um ponto chave para o presidente Barack Obama.

 

Com a aproximação do voto final da reforma, republicanos fizeram ataques à legislação nesta semana, argumentando que ela piorou durante seu tempo de debate no Senado e não resolve as causas da crise de 2008.

 

57 senadores votaram para submeter a lei à aprovação, apenas três a menos dos 60 necessários para que a lei passasse. Três democratas se juntaram a 39 republicanos para manter a legislação em debate no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.