1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Sequestradores libertam jornalista dos EUA desaparecido na Síria desde 2012

Amena Bakr, Yara Bayoumy - REUTERS

24 Agosto 2014 | 16h 10

Theo Curtis foi libertado poucos dias depois que militantes mataram o jornalista James Foley, sequestrado no mesmo período

Reprodução/Reuters
O jornalista norte-americano Theo Curtis estava desaparecido desde 2012

Sequestradores libertaram na Síria um jornalista norte-americano desaparecido desde 2012, disse o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, neste domingo.

Kerry afirmou em comunicado para anunciar a libertação de Theo Curtis que os Estados Unidos estavam usando "todas as ferramentas diplomáticas, de inteligência e militar" à sua disposição para garantir a libertação dos outros norte-americanos mantidos como reféns na Síria.

A notícia da libertação de Curtis ocorre poucos dias depois que militantes do grupo Estado Islâmico mataram o jornalista dos EUA James Foley, que foi sequestrado na Síria em 2012.

Uma fonte do Catar disse à Reuters que Curtis tinha sido entregue a um representante da Organização das Nações Unidas na Síria.

"Agências de inteligência do Catar estão por trás da libertação do jornalista americano na Síria. O Catar, como muitos outros países, busca libertar aqueles em cativeiro por razões humanitárias", acrescentou a fonte.

A fonte do Catar não deu detalhes sobre o que o país havia feito para libertá-lo, dizendo apenas que tinha sido uma questão de "comunicação com as pessoas certas na Síria".