1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Taxa de obesidade atinge alta histórica em mais Estados dos EUA

REUTERS

04 Setembro 2014 | 12h 20

As entidades sugeriram que o problema pode estar se agravando, apesar de uma ampla campanha sobre a epidemia de obesidade no país feita por celebridades

LUCAS JACKSON/REUTERS
A taxa de obesidade adulta em 2013 é maior do que 20% em todos os Estados, enquanto que em 42 a taxa fica acima de 25%

As taxas de obesidade adulta aumentaram em seis Estados dos EUA, sem cair em nenhum, e ao menos 30 por cento dos adultos são obesos no maior número de Estados norte-americanos em todos os tempos, de acordo com uma análise divulgada nesta quinta-feira.

As conclusões foram relatadas pelas organizações Trust for America's Health e a Fundação Robert Wood Johnson com base em dados do governo federal.

As entidades sugeriram que o problema pode estar se agravando, apesar de uma ampla campanha sobre a epidemia de obesidade no país feita pela primeira-dama Michelle Obama e outras celebridades, além de incontáveis programas para combater o problema.

De 2001 a 2012, em comparação, a taxa de obesidade subiu apenas em um Estado.

A taxa de obesidade adulta em 2013 é maior do que 20 por cento em todos os Estados, enquanto que em 42 a taxa fica acima de 25 por cento. Pela primeira vez a taxa em dois Estados, Mississipi e Virgínia do Oeste, subiram acima de 35 por cento. No ano anterior, 13 Estados estavam acima de 30 por cento e 41 tinham taxas de ao menos 25 por cento.

Os níveis de obesidade infantil ficaram estáveis, com cerca de uma em cada três crianças entre 2 e 9 anos tendo registrado sobrepeso ou obesidade em 2012.

Os dados mostraram que maiores taxas de obesidade são registradas entre os mais pobres, o que é associado a um menor acesso a comidas saudáveis e com bairros mais perigosos, o que os inibiria a prática de exercícios ao ar livre.

Um em cada três adultos que ganham menos de 15 mil dólares por ano são obesos, comparados com um em cada quatro entre os que ganham pelo menos 50 mil dólares.

(Reportagem de Sharon Begley)