Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Ação de Lula foi hipócrita, diz Fariñas sobre críticas

Internacional

Rolando Pujol/Efe

Ação de Lula foi hipócrita, diz Fariñas sobre críticas

Dissidente cubano lembrou que presidente também já foi preso político e já fez greve de fome

0

Rodrigo Cavalheiro, de O Estado de S. Paulo ,

14 Março 2010 | 14h54

O dissidente cubano Guillhermo Fariñas, que faz greve de fome há quase 20 dias, criticou o presidente Lula e classificou suas declarações como hipócritas.

 

Lula comparou presos políticos a criminosos e foi criticado por não tocar no assunto dos direitos humanos durante sua visita a Cuba, no fim de fevereiro. Fariñas lembrou que o presidente já foi preso político e, assim como os detidos em Cuba, já fez greve de fome.

 

Na noite do sábado, 13, no hospital em que está desde quinta-feira, em Santa Clara, Fariñas falou por telefone ao Estado.

 

ESTADO: Qual seu estado de saúde?

 

Estou internado com pressão em 9 por 6. Muito cansado e com sono. A cabeça dói muito quando sento. Ontem, consegui dormir bem, mas não sei como vou acordar. Cheguei a estar 36 horas sem urinar. O principal problema é a alimentação intravenosa. Já recebi sete picadas nos braços e minhas veias colapsaram. Agora, os médicos tentam pelo pescoço.

 

ESTADO: O sr. já fez 22 greves de fome. Esta é a última?

 

Como falo com um brasileiro, posso dizer que a bola está com o governo cubano. Há alguns dias o Granma escreveu meu epitáfio, lavou as mãos para a minha morte e me chamou de chantagista. Quero a libertação dos 26 presos políticos doentes prestes a morrer. A ação de Lula (o presidente brasileiro visitou a ilha no fim de fevereiro) foi hipócrita, pois ele já foi preso político em greve de fome.

 

ESTADO: Guarda rancor de Lula, que comparou presos políticos a criminosos comuns e criticou o recurso da greve de fome?

 

Lula é um oportunista de memória curta. Está dando apoio a gente que está há 52 anos no poder, Logo ele, que foi um perseguido político durante a ditadura brasileira, Se tivesse chegado ao poder nos anos 60, talvez tivesse feito como os Castros. Ele deveria saber que depois da Guerra Fria já não há espaço para o poder longe do povo. A minha morte é a maneira de mostrar que não sou mercenário.

 

ESTADO: O governo brasileiro diz que sem o embargo dos EUA não haveria preso político. É verdade?

 

É uma grande mentira. Aqui se compra na área livre do Panamá todo tipo de mercadoria americana. As remessas de Estados Unidos não são bloqueadas. Os Estados Unidos nos vendem comida.

 

ESTADO: Esperava a repercussão mundial que teve sua greve de fome?

 

Quem me diz é você. Aqui na ilha não temos a noção exata. Fico contente que o Parlamento brasileiro tenha aprovado uma moção contra a posição cubana. Agradeço ao povo do Brasil.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.