REUTERS/Ivan Alvarado
REUTERS/Ivan Alvarado

Começa segundo turno das eleições presidenciais no Chile

Desde que o voto deixou de ser obrigatório, abstenção só aumenta e pode bater novo recorde

EFE

17 Dezembro 2017 | 11h10

SANTIAGO - O segundo turno das eleições presidenciais no Chile começou neste domingo, 17, com a abertura dos colégios, nos quais 14,3 milhões de eleitores estão convocados a escolher entre o conservador Sebastián Piñera e o progressista Alejandro Guillier.

Nos principais centros de votação de Santiago e outras cidades houve no começo da manhã uma relativa lentidão na instalação das 48.890 mesas de votação, que ficarão abertas até as 18h (horário local, 19h de Brasília).

No primeiro turno, Piñera, candidato da coalizão Chile Vamos, obteve 36,66% dos votos, e Guillier, porta-bandeira das governista Nova Maioria, 22,68%. Na ocasião votaram 6,7 milhões de pessoas, uma participação de 46,7% do eleitorado.

+++ Segundo turno apertado no Chile será decidido por comparecimento às urnas

No começo da manhã, artífices do Grupo de Operações Especiais (GOPE) da polícia se mobilizaram para examinar um objeto suspeito colocado junto à sede do Serviço Eleitoral da cidade de Temuco.

Outra situação dramática ocorreu em Villa Santa Lúcia, um pequeno povoado da província de Palena, a 1.200 quilômetros de Santiago, onde neste sábado um desmoronamento deixou cinco mortos, 18 desaparecidos e 12 feridos, além de 20 casas destruídas ou danificadas.

As autoridades revisaram hoje algumas alternativas para cumprir o processo eleitoral, enquanto equipes de bombeiros, policiais, militares e funcionários se esforçavam para normalizar a situação, encontrar os desaparecidos e socorrer os afetados. /EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.