Reuters
Reuters

Furacão Ida mata 124 em El Salvador

Governo decreta emergência em todo o país; fenômeno perde força em direção ao Golfo do México

estadao.com.br,

09 Novembro 2009 | 02h34

O furacão Ida foi rebaixado para a categoria 1, com ventos máximos sustentados de 145 quilômetros por hora, enquanto ia na direção do Golfo do México, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos. As chuvas fortes e inundações provocadas pela tempestade um dia antes, em sua passagem por El Salvador, mataram pelo menos 124 pessoas; outras 60 estão desaparecidas. Na noite de domingo, o presidente de El Salvador, Mauricio Funes, decretou estado de emergência.

 

Segundo informou o ministro salvadorenho do Interior, Humberto Centeno, o número de vítimas deverá aumentar porque as equipes de resgate ainda não haviam chegado às áreas isoladas pelas inundações e pelos deslizamentos de terra. O governo de El Salvador começou decretando estado de emergência em cinco departamentos (Estados). Pelo menos 7 mil salvadorenhos ficaram desabrigados e diversas regiões do país ficaram sem água e energia. Na capital, San Salvador, as autoridades registraram 61 mortes, incluindo a de uma família de 4 pessoas que teve sua casa soterrada.

 

Ao passar pela Nicarágua, na quinta-feira, a tormenta Ida deixou mais de 13 mil desabrigados, destelhou ou destruiu 930 casas e arruinou 5.590 hectares de plantações, segundo levantamento do governo.

Ida, que havia sido rebaixado à categoria de tempestade tropical na semana passada, voltou a atingir a categoria de furacão na noite de sábado e, ontem, seus ventos chegaram a cerca de 160 km/h, segundo boletim do Centro Nacional de Furacões dos EUA.

 

Como prevenção, o governo mexicano pediu às pessoas que evitem viagens desnecessárias para a Península de Yucatán, onde fica o balneário de Cancún, e impôs restrições à navegação costeira. Mas o ciclone acabou não tocando terra em território mexicano e seguiu para o Golfo do México. Cerca de mil pessoas foram retiradas das ilhas de Holbox e Punta Allen, a noroeste de Cancún, duas comunidade de pescadores que são santuários para milhares de flamingos e de outras aves exóticas.

 

Cancún esteve apenas em estado de atenção, sob chuvas fortes. Mas restaurantes e casas noturnas da cidade funcionaram normalmente. O aeroporto local também permaneceu aberto e não houve planos para a retirada dos cerca de 12 mil turistas.

 

Rota

 

Na noite de domingo, o furacão Ida desviou sua rota e seguiu para o Golfo do México, onde se encontram diversas refinarias de petróleo e gás, e seguir no sentido do território dos Estados Unidos. Companhias petrolíferas que operam no Golfo do México anunciaram estar acompanhando o progresso do furacão, mas ainda não pensam em paralisar a extração de petróleo e gás.

 

A produção petrolífera do Golfo do México é responsável por 25% da produção nacional de petróleo noss EUA e 15% da produção de gás.  Com o avanço de Ida, o centro de furacões montou um posto de observação em Grand Isle, Louisiana. A criação de um posto de observação significa que a chegada de um furacão é esperada nas 36 horas seguintes.

 

Estado de Emergência

 

O governador da Louisiana decretou estado de emergência para preparar o Estado para a tormenta. Mas as previsões são de que Ida pode perder força antes de chegar aos Estados Unidos ao interagir com uma frente fria.

Mais conteúdo sobre:
El Salvador furacão Ida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.