Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Jogo de rúgbi desvia atenção de disputa presidencial na Argentina

Duelo contra a Austrália pelo campeonato mundial fez candidatos à Presidência do país votarem mais cedo 

Rodrigo Cavalheiro, correspondente, O Estado de S. Paulo

25 Outubro 2015 | 17h40

BUENOS AIRES - A inesperada chegada da Argentina à semifinal do campeonato mundial de rúgbi, em partida disputada na tarde deste domingo, 25, alterou a rotina da eleição presidencial.

O jogo ocorrido em Londres entre 13h e 15h (horário local) mobilizou a atenção dos argentinos, para quem esporte é o quarto em popularidade. Os Pumas, como a equipe é chamada, perderam para a Austrália, favorita ao título, por 25 a 15.

Mesmo com a derrota, o posicionamento entre os quatro melhores do mundo fez com que os portais dos dois principais jornais do país, Clarín e La Nación, dessem no início da tarde mais destaque à "derrota heróica" do que à votação, que transcorria com tranquilidade.

"Acho que estamos atentos às duas coisas, ao esporte e à eleição, mas na hora do jogo ninguém vai votar. Eu fui bem cedo, para me livrar já", disse Patricio Sosa, ex-praticante do esporte, em um restaurante da cidade de Tigre. 

Ele aceitou falar sobre a coincidência entre a votação e o duelo desde que fosse rápido, para não tirar sua atenção do jogo. A final será disputada entre Nova Zelândia e Austrália. Os Pumas jogarão pelo terceiro lugar com a África do Sul.

Mais conteúdo sobre:
Argentina rugby

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.