Fernando Antonio/AP
Fernando Antonio/AP

Oposição hondurenha insiste em contagem de 5.179 urnas nas quais supõe está a 'fraude'

No início da contagem, Salvador Nasralla liderava a apuração contrariando as previsões

EFE

04 Dezembro 2017 | 00h48

TEGUCIGALPA - O coordenador geral da Aliança de Oposição contra a Ditadura, Manuel Zelaya, pediu neste domingo, 3, novamente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de Honduras que sejam contadas as 5.179 urnas nas quais presume que estaria a "fraude" contra seu candidato, Salvador Nasralla, nas eleições do dia 26 de novembro.

Em entrevista coletiva, Zelaya disse que na reunião realizada com os juízes do TSE, acompanhado de especialistas em informática e outros assessores, não receberam fielmente a informação de tipo técnico e eleitoral solicitada para demonstrar-lhes as que a Aliança de Oposição classifica como "as 5.179 urnas da fraude".

+++ Governo de Honduras decreta estado de exceção para conter violência

"Discutimos ponto por ponto, eles querem que sejam contadas 1.006 urnas, mas se podem fazer isso, por que não fazer o mesmo com as 5.179 que são as que chamamos atas da fraude, que são as que entraram depois que deram o primeiro resultado, no dia 27 de madrugada", enfatizou o ex-presidente Zelaya.

+++ Oposição de Honduras surpreende e assume liderança em eleição presidencial

O ex-governante, que foi deposto em 2009, ressaltou que a suspeita queda do sistema do TSE três vezes depois que Nasralla tinha uma vantagem de cinco pontos sobre o candidato do governante Partido Nacional e presidente do país, Juan Orlando Hernández, lhes dá direito de duvidar e afirmar que houve "fraude". /EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.