Jorge Cabrera/Reuters
Jorge Cabrera/Reuters

Três semanas após o pleito, presidente de Honduras é declarado reeleito

Tribunal Supremo Eleitoral confirmou a reeleição do presidente, com 1,53% de votos a mais que a oposição, mas resultado é contestado

O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2017 | 02h11

TEGUCIGALPA - O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernandez, foi declarado neste domingo, 17, o vencedor das eleições ocorridas há três semanas. O anúncio foi feito pelo Tribunal Supremo Eleitoral hondurenho. "Cumprimos nossa obrigação e esperamos que haja paz no nosso país", disse o presidente da corte, David Matamoros. A incerteza sobre o resultado, contestado pela oposição, provocou protestos que deixaram ao menos 17 mortos.

+++ Governos de 8 países apoiam recontagem de votos em Honduras

De acordo com os números oficiais, Hernandez venceu as eleições com 42,95% dos votos, contra 41,42% do oposicionista Salvador Nasralla - que alega que houve fraudes no pleito e não reconhece a derrota. Houve protestos nas ruas de Tegucigalpa e em outras cidades de Honduras na noite de domingo, após o anúncio. Correligionários de Nasralla convocaram protestos para esta segunda-feira, 18.

A apuração dos votos das eleições de 26 de novembro mostraram Nasralla com uma dianteira significativa até o momento em cerca de 60% dos votos foram apurados. As atualizações da contagem, até então públicas, pararam por mais de um dia. Quando voltaram a ser feitas, Hernandez reverteu o placar.

Mais cedo, em Washington, Nasralla denunciou mais uma vez as "diversas" fraudes que teriam ocorrido nas eleições em Honduras. Na capital dos Estados Unidos, o oposicionista pretende levar suas queixas para a Organização dos Estados Americanos (OEA), para o Departamento de Estado e para grupos de defesa dos direitos humanos.

+++ Presidente candidato à reeleição aceita recontagem de votos em Honduras

Pelo Twitter, o secretário-geral da OEA, Luiz Almagro, afirmou que "sérias dúvidas persistem sobre os resultados". A publicação foi realizada pouco antes do anúncio da corte eleitoral.

Na semana passada, a corte eleitoral anunciou que uma recontagem parcial dos votos confirmava a vitória do atual presidente.

Hernandez não se pronunciou após a proclamação do resultado eleitoral. No sábado, a ministra Hilda Hernandez, irmã do presidente, morreu em uma queda de helicóptero.

O ex-presidente Manuel Zelaya, aliado de Nasralla, convocou a população para atos de desobediência civil e pediu que as forças armadas do país reconhecessem a vitória do oposicionista nas urnas. /AP

 

Mais conteúdo sobre:
Honduras [América Central]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.