Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Venezuelanos nos EUA pedem reação americana a Chávez

Internacional

Palácio de Miraflores/Efe

Venezuelanos nos EUA pedem reação americana a Chávez

Grupos de oposição e direitos humanos condenam 'atropelos' do presidente à democracia e à liberdade

0

estadao.com.br ,

03 Fevereiro 2010 | 09h40

Três organizações venezuelanas de Miami solicitaram a vários congressistas dos EUA nesta quarta-feira, 3, que condenem os "atropelos" contra a liberdade de expressão e o contra o movimento estudantil na Venezuela, segundo informa o diário venezuelano El Universal.

 

Os grupos de oposição Independent Venezuelan-American Citizens (IVAC) e Todos por Venezuela, e o de direitos humanos Venezuela Awareness, solicitaram à embaixadora dos EUA na Organização dos Estados Americanos, Carmen Lomellin, que estude a aplicação da Carta Democrática à Venezuela, já que afirmam que a democracia foi violada de "forma reiterativa".

 

"O espírito que deve conter a democracia de um país como bem descreve esse documento, a Venezuela não o respeita nem o pratica", disseram as organizações em um comunicado conjunto direcionado ao senador George Lemieux e aos deputados Ileana Ros-Lehtinen, Mario Díaz-Balart, Lincoln Díaz-Balart e Connie Mack..

 

As entidades expressaram sua preocupação pela "repressão desatada pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, como resposta aos protestos pacíficos realizados pelo povo venezuelano e pelo movimento estudantil motivados pelo fechamento do canal RCTV Internacional, ocorrido no dia 23 de janeiro". A suspensão do canal, acrescentam, é "uma grave violação da liberdade de expressão assim como tantos outros abusos contra a Constituição".

 

O documento ainda ressalta que Chávez, em vez de ordenar as investigações ante os "excessos policiais" durante as manifestações estudantis, minimiza-os publicamente e "promove, dando ordens, o uso desproporcional das forças de segurança e o uso de armas proibidas com o único fim de acabar com o direito constitucional dos protestos pacíficos".

 

As organizações ainda falam da "extrema gravidade" do fato de que não exista intenção de investigar esses "atos de violação dos direitos humanos e castigar os responsáveis, bem como proibir o uso de novas armas que não estejam de acordo com os padrões internacionais". Segundo os grupos, o mandatário manifestou publicamente o desejo de "aumentar a repressão ao movimento estudantil até eliminá-lo, sem se importar com as consequências".

 

Assim, pediram aos congressistas americanos que "apresentassem uma resolução ante o Congresso e ao Senado dos EUA uma condenação aos atropelos que estão ocorrendo na Venezuela nos momento atual contra o movimento estudantil e a liberdade de expressão".

 

Chávez desmentiu as denúncias de "repressão brutal" e de "atropelos" contra os estudantes que se manifestaram em várias cidades da Venezuela em protesto a sua gestão e ao fechamento da RCTV Internacional. O presidente afirmou que muitas denúncias se baseiam em fotografias de jornais que mostram agentes da Guarda Nacional com garras de ferro que, segundo o mandatário, são usadas para retirar pneus incendiados que bloqueiam estradas e ruas, e "não para golpear".

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.