Cameron nomeia principais ministros de seu gabinete no Reino Unido

Conservadores dominam principais pastas; liberais democratas ocupam quatro lugares na equipe

estadão.com.br

12 Maio 2010 | 09h34

LONDRES - O novo primeiro-ministro britânico, o conservador David Cameron, nomeou nesta quarta-feira, 12, seu gabinete de governo. Os ministros e secretários nos postos mais importantes, como Defesa, Exteriores e Assuntos Internos, são de maioria conservadora, mas quatro pastas ficaram nas mãos dos liberais democratas.

 

Veja também:

linkUE minimiza preocupação com política externa

especialEntenda as eleições no Reino Unido

 

Cameron, acompanhado pelo vice primeiro-ministro britânico, o liberal-democrata Nick Clegg, começou a trabalhar na composição do governo de coalizão, formado na noite de terça pelos dois políticos depois de cinco dias de negociações.

 

O conservador William Hague foi nomeado secretário de Exteriores. Hague liderou os conservadores de 1997 a 2001 e já foi ministro de Segurança Social. Ele já anunciou que a guerra no Afeganistão é sua principal prioridade e que fará uma "política externa distinta no Reino Unido".

 

George Osborne, um dos mais próximos aliados de Cameron, é o novo chanceler britânico. Segundo Osborne, o governo de coalizão quer mudar o sistema de impostos para "torná-lo mais justo para as pessoas de baixa renda" e reformar as estruturas do sistema bancário.

 

O conservador Liam Fox foi nomeado o novo ministro da Defesa e prometeu fazer uma rápida revisão das forças armadas do país. O setor é visto como um dos principais responsáveis pelo déficit britânico e está na mira dos cortes de custo.

 

Theresa May, também conservadora, é a nova secretária do Assuntos Internos, além de ministra da Igualdade da Mulher. Ela se tornou a segunda mulher a ocupar o posto. Anteriormente, era a porta-voz conservadora para Trabalho e Pensões.

 

Ken Clarke, outro conservador, foi nomeado secretário de Justiça. Clarke foi chanceler de John Major nos anos 90, além de ter trabalhado na equipe de Margareth Thatcher.

 

Os conservadores Andrew Lansley e Michael Gove foram nomeados secretários de Saúde e Educação respectivamente e vão liderar as reformas sociais no governo de Cameron.

 

Os outros conservadores nomeados no gabinete são Iain Duncan Smith (Trabalho e Pensões),Danny Alexander (secretário Escocês), Patrick McLoughlin (supervisor na Câmara dos Comuns), Eric Pickles (Comunidades e Governo Local), Dominic Grieve (Promotor-geral), Jeremy Hunt (Esportes, Cultura e Imprensa), Ken Clarke (secretário de Estado para a Justiça), Caroline Spelman (Meio Ambiente), Andrew Mitchell (Desenvolvimento Internacional), Philip Hammond (Transporte), Ower Paterson (Irlanda do Norte), Cheryl Gillan (Gales), David Willetts (Universidades, Ciência e Competências).

 

Além deles, também integram a equipe do governo os 'tories' Lorde (Tom) Strathclyde (líder dos Lordes), sir George Young (líder dos Comuns), Francis Maude (ministro oficial de Gabinete), Baroness Warsi (vice-presidente do gabinete),  e Oliver Letwin (ministro de Estado no gabinete).

 

Os liberais democratas que integrarão a equipe de governo, além do vice-premiê Clegg, serão Vince Gable (Finanças), Chris Huhne (Energia e Mudanças Climáticas), David Laws (Tesouro) e Danny Alexander (secretário Escocês).

 

Cameron e Clegg participaram nos últimos dias de intensas negociações para alcançar o pacto de coalizão, depois que os "tories" não conseguiram obter a maioria absoluta nas eleições de 6 de maio.

 

(Atualizado às 19h37)

Mais conteúdo sobre:
Reino Unido Cameron Clegg ministérios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.