Família de Jean Charles vai receber R$ 286 mil, diz jornal

Compensação será baixa porque parentes não receberiam grande ajuda econômica se ele ainda estivesse vivo

estadao.com.br,

23 Novembro 2009 | 08h51

Os parentes de Jean Charles de Menezes, o jovem mineiro morto a tiros pela polícia de Londres em 2005 ao ser confundido com um terrorista, receberão uma indenização de 100 mil libras (R$ 286 mil). Fontes citadas pelo jornal The Daily Telegraph sugeriram que os fatos de Jean Charles ser solteiro e estrangeiro e de sua família ser relativamente pobre teriam influenciado o acordo. As negociações foram iniciadas na semana passada e ainda não há informações oficial sobre o acordo.

 

A indenização seria um terço da quantia pleiteada pela família.  Segundo o jornal britânico Daily Mail, a compensação será baixa porque foi considerado que a família não teria recebido uma grande ajuda econômica de Jean Charles se ele ainda estivesse vivo. A indenização, como conta o Daily Mail, contrasta com as 400 mil libras (R$ 1,1 milhão) pagas ao então chefe da Polícia Metropolitana, o criticado Ian Blair, após deixar o cargo em 2008. Os advogados de Jean Charles tinham sugerido que a indenização fosse de 300 mil libras (R$ 858 mil) pela desastrosa operação da polícia.

 

Jean Charles levou sete tiros na cabeça após ser confundido pela polícia com um suposto terrorista que havia participado de um ataque frustrado à rede de transportes da capital britânica no dia anterior. A morte dele desencadeou uma série de inquéritos que investigou as táticas da polícia, a supervisão dos policiais e decisões individuais tomadas no dia de sua morte.

 

Duas semanas antes, quatro homens-bomba promoveram atentados suicidas que provocaram a morte de mais 52 pessoas em três estações de metrô e um ônibus na capital britânica. Um dia antes da morte de Jean Charles houve uma tentativa fracassada de novos atentados contra Londres. A polícia, que mais tarde pediu desculpas pelo erro, alegou ter confundido Jean Charles com um dos suspeitos dos atentados fracassados do dia anterior à morte do brasileiro.

 

Os pais de Jean Charles vivem da aposentadoria rural e de uma criação de 15 cabeças de gado numa área de 16 hectares. Quando foi morto, o filho costumava enviar mensalmente um montante equivalente na época a cerca de R$ 2,5 mil para a família, num momento em que a libra esterlina estava valorizada em relação ao real. Os familiares afirmam, que até agora, receberam do governo britânico somente um auxílio para os custos com funeral. Com parte do dinheiro, ergueram no cemitério de Gonzaga uma imponente sepultura para Jean Charles, avaliada em cerca de R$ 14 mil.

 

(Com O Estado de S. Paulo e Efe)

Mais conteúdo sobre:
Jean Charles Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.