Fazendeiros espanhóis bloqueiam ruas em protesto contra preços

Centenas de milhares de fazendeiros por toda a Espanha bloquearam estradas, enfileiraram tratores nas ruas e venderam produtos a preço de custo nesta sexta-feira para protestar contra os baixos preços, que eles dizem estar forçando-os a sair dos negócios.

MARTIN ROBERTS, REUTERS

20 Novembro 2009 | 17h12

Quatro grandes sinidicatos de agricultores disseram que 90 por cento das cooperativas fecharam as portas para entrar em um dos 200 protestos que cruzam o país.

Esta investida é uma preparação para uma manifestação no sábado, na qual 100 mil fazendeiros devem marchar do centro de Madrid para o Ministério da Agricultura.

Agricultores franceses também protestaram contra os preços baixos no mês passado. Fabricantes de laticínios da União Europeia ganharam subsídios após semanas de protestos.

Manuel Zafra, agricultor da região de Andaluzia, sul do país, disse que ele não pode mais se sustentar com suas 2 mil árvores de oliva como o seu pai e seu avô fizeram.

"Se eles nos pagam 30 centavos (de euro) por quilo, o que nos custa 20 centavos para colher, nós não podemos viver com 10 centavos o resto do ano", afirmou Zafra na televisão estatal.

"O que podemos fazer? Parar de colher ou parar de cultivar olivas?"

Sindicatos avaliam que fazendeiros perderam 26 por cento de sua renda real entre 2003 e 2008, e sofreram com uma alta de 34 por cento nos custos.

Mais conteúdo sobre:
ESPANHA AGRICULTORES PROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.