Daniel Roland/AP
Daniel Roland/AP

Gestores europeus alertam sobre otimismo com compra de títulos pelo BCE

Gestores políticos europeus alertaram, neste sábado, sobre o otimismo excessivo depois do lançamento do programa do Banco Central Europeu de compra de títulos, com Ignazio Visco, membro do Conselho do Governamental, afirmando que os juros não podem permanecer perto de zero para sempre.

VALENTINA ZA E FRANCESCA LANDINI, REUTERS

14 Março 2015 | 17h28

O BCE começou na segunda-feira um programa de compra de títulos soberanos, ou flexibilização quantitativa, com o objetivo de apoiar o crescimento e levar a inflação da zona do euro para sua meta de pouco menos de dois por cento.

Visco, presidente do Banco da Itália, disse que o euro enfraqueceu mais rápido do que se esperava desde que o BCE deu seus primeiros sinais sobre o movimento, e que havia riscos de o programa ultrapassar o seu objetivo.

"Nós precisamos tentar manter a inflação perto dos dois por cento o mais rápido possível", afirmou Visco durante coletiva de imprensa em Cernobbio, às margens do Lago Como, onde os gestores políticos e executivos de companhias se reuniram para discutir as perspectivas econômicas e financeiras para a Itália e a Europa.

"Não podemos manter os juros em zero para sempre ou por um período muito longo", declarou Visco.

O BCE reduziu sua principal taxa para 0,05 por cento no início de setembro.

Mais cedo neste sábado, o ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, disse na mesma conferência que as compras do BCE poderiam abastecer uma equidade insustentável sem promover investimentos na economia real.

Mais conteúdo sobre:
Banco Central Europeu BCE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.