Grã-Bretanha é atingida por enchentes após chuva recorde

Botes salva-vidas e helicópteros militares resgataram centenas de pessoas durante a noite no norte da Inglaterra, e um policial foi encontrado morto por conta da chuva que inundou casas e derrubou pontes.

NIGEL RODDIS, REUTERS

20 Novembro 2009 | 14h26

A polícia do condado de Cumbria afirmou nesta sexta-feira ter encontrado o corpo de um homem com uniforme de policial. Existe a suspeita de que ele seja um oficial desaparecido na queda de uma ponte. Ele trabalhava no local orientando os motoristas a desviarem.

"Este tem sido um dos dias mais chuvosos, uma das noites mais chuvosas nessa área de Cumbria", afirmou o primeiro ministro Gordon Brown. "Tudo o que for necessário será providenciado."

A Agência Ambiental do país declarou que em 24 horas a quantidade de chuva alcançou 314 mm, um recorde para a Inglaterra. O Escritório Metereológico divulgou que em apenas um dia caiu quantidade de chuva esperada para o mês de novembro inteiro.

A Grã Bretanha tem sido atingida por chuvas severas nos últimos anos, aumentando o debate sobre o impacto do aquecimento global. O país presenciou, no ano passado, o verão mais úmido desde o início dos registros, em 1914.

Fortes chuvas em 2007 afetaram 55 mil casas e lojas e deixaram uma conta de 5 bilhões de dólares para as seguradoras. Um porta-voz da Associação de Seguradoras Britânicas avaliou que as últimas enchentes parecem menos destrutivas, mas levará muitos dias para elaborar uma estimativa confiável.

O Escritório Meteorológico explicou que a previsão do tempo para esta sexta-feira é de melhora, mas outros 40 mm de chuva poderiam cair no sábado.

A Força de Defesa da Irlanda declarou que prepara 110 soldados, 15 caminhões e quatro botes para as enchentes do sul e oeste do país. Muitas casas e lojas foram inundadas na segunda cidade mais importante, Cork.

(Reportagem adicional de Avril Ormsby e Andras Gergely em Dublin; Texto de Michael Holden; Edição de Mark Trevelyan)

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHA ENCHENTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.